Pão de Canela e Prosa – Onde as palavras têm sabor
Pão de Canela e Prosa

ENTREVISTA COM O VAMPIRO DOUGLAS

Eu saí de casa, entrei no meu carro e comecei a dar ré para poder sair da garagem. Estava indo para a faculdade dar aulas e o tempo estava justo. Olhando pelo retrovisor eu continuei a ré até a área de manobras e o sensor de ré começou a sinalizar apesar de eu não ver nada no espelho. Bati em alguém. Sabia que era alguém porque ouvi um...

NASCENTE

Meus dedos não me falam nada, Mas tecem uma prece muda Pr’eu não calar a boca… Minha voz, presa no cárcere da garganta, Sob as grades de meus dentes, Desponta como a nascente E caminha pra longe Pra quem quiser banhar-se Nas águas de minhas palavras… Sou a nascente do rio que ouves, Sou a fonte do som que perturba, Sou tudo o que...

NÃO INTERESSA

Não interessa Quem esteve na minha cama, Quem beijou minha boca, Quem respirou o mesmo ar… Não interessa Quem me amou, Quem por mim esteve à beira da loucura, Quem quis respirar junto comigo… Não interessa Quem pisou no mesmo caminho, Quem me seguiu par-e-passo, Quem quis caminhar e faltou o ar… Não interessa Quem tentou...

MEXIDO

E aí eu me sentei na enorme mesa dos meus sonhos, Com todos os milhões de talheres e louças E o meu mordomo preferido Me serviu com todas as mesuras O mais perfeito dos pratos: – O mexido da dona Santa!     – Como eu gosto do mexido da minha mãe!   FOTO: 

OI, TUDO BEM? – RESENHA

E-Book – lançado pela Amazon.com.br Onde comprar:  Resumo: O livro se desenrola em Juiz de Fora, MG. É narrado em primeira pessoa pela protagonista: Beatriz. Ela é uma mulher casada com Eduardo, um jovem atleta, jogador de basquete e empresário, bem de vida. Em uma festa de antigos amigos da faculdade ela encontra Luiz Antônio, também...

VONTADE DE TE VER

Talvez a vontade de te ver fosse tanta, Que nem me dei conta De que dissera que jamais estaria novamente contigo! Há coisas do coração Que a razão não tem controle! E hoje, eu te procurei, Hoje eu te busquei E talvez rechaçado pela sua indiferença, Agora, sozinho, ponho-me a escrever-te…   Verás, cara amiga, que não me...

NÃO MAIS AMAREI

Não mais amarei, Já que não posso ter você comigo, Já que não posso ter suas mãos nas minhas, Seu corpo no meu, Coxas entrelaçando coxas, Sexos se encontrando ávidos…   Não mais amarei. Roubei-me ao mundo o prazer de estar consigo, Não permiti-me o devaneio louco, De possuí-la, de tê-la comigo.   Não mais amarei, Já...

VIVA MADRI

Ele não sabia aonde ir. Estava parado naquela praça, cheia de pessoas que passavam de um lado para o outro e corriam e riam e brincavam e se divertiam, mas ele não sabia aonde ir. Acabara de chegar naquele lugar desconhecido, com gente desconhecida. Tinha sorte, ou merecimento, de falar a língua daquele país e conhecer a história...