A NOITE – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

A NOITE

O ar carregado, a noite fria,

O vento levando sonhos tristes,

A tristeza vindo dar sua cria,

E a noite trazendo enleios tristes…

 

O mundo talvez, enquanto é noite,

Mude o senso falso das pessoas

E no escuro tudo se afoite

E surjam as coisas más e boas…

 

E enquanto é noite, a gente sonha,

Num céu estrelado culpa ponha,

Desta solidão, que tanto preme…

 

E o frio que traz, passando treme

O coração, cala-se a pobre alma…

E a noite, fria, vai, passando calma…

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *