ALMA TRISTE – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

ALMA TRISTE

Minha alma triste e desesperada

Busca incessantemente sua boca

No frio da noite, na madrugada,

Mas você partiu, deixando louca

 

A minha vida. O meu sonho lindo

Desapareceu junto a você.

Não há mais luz no horizonte infindo

Só dúvidas, lágrimas… Porquê?

 

Os dias passam, sofro com eles,

Acordo sempre à noite parado

No tempo, esperando seu retorno…

 

Mas sei, meu desejo é tão reles

E o mundo me olha tão calado,

Que cada dia mais frio eu me torno.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *