ARTE – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

ARTE

“Não se pode criticar a arte!
Arte é tudo aquilo que o ser humano faz!”
Não sei!
Não sou a favor de achar uma coisa mal-feita, uma coisa de mal gosto ou que agrida à população no geral como arte.
A “Semana de 1922” que abriu as portas para a Arte Moderna, permitiu que tudo fosse considerado como arte. O ser humano se esquece que invadir o espaço alheio não o torna melhor e nem é artístico isso.
O grafite é arte, mas a sujeira que se faz em paredes de prédios e monumentos pelo simples prazer de se “pichar” alguma coisa não é! Um monte de riscos e formas que o artista fez com uma visão de cores e harmonia é arte, mas borrões desconexos deixa dúvidas. Um balé, clássico, moderno, jazz, dança de rua, dança enfim, é arte, capoeira é arte, artes marciais, cinema, teatro, manifestações populares…
Digo que aquilo que agride, nem sempre é arte. Arte pode e deve agredir, deve fazer pensar, deve tirar a pessoa da “mesmice” e fazer com que ela evolua, se mexa.
Nudez é arte! O nu artístico é arte, muitas vezes porém, é só agressão sem fundamento. Pornografia é arte. O erro está nos olhos que a vêem. Sexo é arte e pode ser agressão, punição e até crime
Escrever! Como é bom escrever. Podemos oferecer flores com nossas escritas. Podemos enfiar uma faca e assassinar alguém com nossas palavras colocadas em algum texto.
Sade fez sucesso com uma literatura “pervertida, para sua época, onde, como.acontece até hoje, senhoras pudicas e castas adoram ouvir e ler algo “sujo”, fora do seu patamar de pudor. Demonstram com risos e caras de vergonha àquilo que não fazem por preceitos e normas castradoras.
Assim como Sade, a arte de se falar aquilo que pensamos deve ser dirigida àquele público que a procura. Uma pessoa que gosta e vê filmes pornográficos, não está errada se não o impuser à todos ao seu redor. Eu disse isso em uma crónica que postei há alguns dias sobre “Regras”. As regras têm que ser seguidas para manter a harmonia da sociedade, têm que ser quebradas quando for necessário.
A arte é isso. É um dos superpoderes do ser humano que através dela se expressa, extravasa, se completa, causa em outrem sentimentos diversos, mas tem que ser antes de tudo bela, como a vida é bela, como a natureza é bela, como belo deve ser o que vimos em cada coisa.
Procurar ver o belo onde nem sempre existe, também é uma arte.

               

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

2 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *