Artur Laizo Escritor – Página: 2 – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

Autor - Artur Laizo Escritor

PEDRO NAVA – FRASES

Quando morto estiver meu corpo, evitem os inúteis disfarces, os disfarces com que os vivos procuram apagar no morto o grande castigo da morte. Não quero caixão de verniz nem ramalhetes distintos, superfinos candelabros e nem as discretas decorações. Quero a morte com mau gosto! Dêem-me coroas de pano, flores de roxo pano, angustiosas flores...

CHEIO DE NADA

Queria escrever alguma coisa cheia de mim, Mas eu estou agora, cheio de nada… Queria dizer de meus sonhos, Que como areia do deserto Estão nas minhas mãos abertas… Queria dizer dos meus amores, Que como feras selvagens Estão nas jaulas abertas do meu coração, Queria dizer dos meus desejos, Que como filmes de arte Não lotam...

AMIGOS

Eu espero que terminemos nossos dias Amigos! Sentados em algum lugar, Prefiro Parque Halfeld, Tu, Quebra Anzol,   Estaremos os dois A ler-nos, a decifrar-nos cada verso Que houvéramos escrito. A rir de cada situação, de cada musa, de cada particular solidão…   Estaremos os dois Sorrindo pra vida, chorando pela vida, sentindo...

JARDEL

Jardel era pesquisador do laboratório de bioquímica da empresa e era muito dedicado. O rapaz de 36 anos era alto, esportista, com um corpo definido em horas de academia e dieta balanceada. Gostava de usar os cabelos cheios, porém não longos e os fios loiros contrastavam com sua pele bronzeada de sol. Seu trabalho era exaustivo e ele passava...

QUERIA

Queria, com certeza, queria Sentir agora Roçar-me nas costas tuas mãos Dizendo-me que chegaste, – eu distraído a escrever- E que estás pronta ao amor…   A princípio, arrepiar-me-ias, E eu tentaria em vão, Não mostrar-te que te soube perto, Não demonstrar-te quanto te quero. Manter-me-ia imóvel, Para que tu continuasses A...

O VAMPIRO LEONARDO

Cheguei na janela, respirei o ar da noite e pensei brincando: Cadê o meu amigo vampiro? Olhei para as plantas do jardim iluminadas pela lua. Senti o cheiro da noite. Um cheiro bom. Um cheiro doce. Um cheiro de Patchouli. Patchouli! Um cheiro suave que se tornou mais forte e eu procurei pelo jardim. Nada! Na escuridão além do jardim, nada! O...

POEMA A VINÍCIUS DE MORAES (09/07/1980)

Ah! Quem dera se te fosse dada a eternidade E se entre nós continuasses a dizer coisas belas… Ah! Quem dera se se pudesse ver sempre o teu rosto E teus murmúrios a melodiar-nos a vida…   Por que será que a morte tão vil e traiçoeira De nós te levou? Tu que sempre nos mostravas O mais puro enleio de amor numa canção? Não...

ENAMORADOS

Estamos enamorados! Sei que nos queremos tanto, Em cada olhar trocado, Cada beijo no peito calado, Cada sonho, só sonhado…   Queremo-nos no silêncio Que nos impomos… Por sermos tão iguais E tão passionais, Não nos permitimos desfrutar O momento máximo de nosso amor…   Desejamo-nos na ausência Que...