Artur Laizo Escritor – Página: 24 – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

Autor - Artur Laizo Escritor

SABER SORRIR

  Então, ele se instalara naquela cadeira pequena, pequena e desconfortável, e sorria para o nada. Nada presente em tudo e tudo tão somente nada, mas ele precisava sorrir. Não era seu aniversário, mas ele precisava sorrir. O elevador parou e, de repente, entrou um velho com uma bengala e ele sorriu, ao que o velho não sorriu a ninguém...

PERFEIÇÃO

  Aos dezesseis anos Eu acreditava Que poderia mudar o mundo Que eu tinha toda a razão Que eu era perfeito!   Aos vinte e poucos anos Eu acreditava Que poderia mudar as pessoas Que todas estavam erradas E eu era perfeito!   Aos trinta e poucos anos Eu acreditava Que o mundo e eu éramos iguais Que todos buscávamos algo. Ninguém...

OLAVO BILAC

  Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac foi um jornalista, contista, cronista e poeta brasileiro do período literário parnasiano, membro fundador da Academia Brasileira de Letras. Criou a cadeira 15 da instituição, cujo patrono é Gonçalves Dias   Há quem me julgue perdido, porque ando a ouvir estrelas. Só quem ama tem ouvido...

O TÚMULO DA MÃE

  Ele ia ao túmulo da mãe todos os dias. Ele chegava sozinho, sempre com um chapéu que cobria o topo da cabeça, mas que deixava os longos cabelos loiros soltos por baixo. Envolvia o pescoço com um cachecol xadrez bege com preto nos dias frios para não “pegar friagem na garganta”. Ele olhava o túmulo simples naquele cemitério onde...

VAMPIRO

  Ele saiu do quarto escuro e cambaleante andou pela rua também escura. Ele não conseguia ver nada a frente, mas sabia que deveria seguir em frente. A noite estava escura e a lua há muito se escondera para não ser cúmplice daquilo que iria acontecer. Ele não bebera demais, mas sabia que não estava normal. Havia alguma coisa na sua...

AMOR

Se eu não fosse apenas amor, O que seria? Um vaso sem flores, Um espelho sem reflexos, Uma árvore seca, Um caminho sem luz, Uma noite sem estrelas…   Se eu não fosse somente amor, Não teria perfume, Não teria imagem, Não teria vida, Não teria luz, Não poderia ver estrelas…   Se eu não fosse apenas amor, Não haveria...