Artur Laizo Escritor – Página: 3 – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

Autor - Artur Laizo Escritor

ATÉ QUANDO?

Os sonhos passam Os desejos passam A vida passa muito mais devagar… A vontade de fazer mais passa A alegria de realizar, de criar passa A vida passa mais devagar… O corpo, o vigor, a energia passam A cor dos cabelos, a lisura da pele passam A vida passa mais devagar… E nessa discordância de tempo Resta o quê, para aquela lenta...

PROÍBA-ME DE PENSAR!

Proíba-me de pensar! Tape meus olhos para que eu não veja O que me acontece à queima roupa. Não deixe que meus pensamentos – tão cruéis -, Prossigam elocubrando dores, Ofuscando sonhos, Apertando o peito! Proíba-me de pensar! Proíba-me de remoer fatos, de revirar situações… Proíba-me de sentir! Não interfiram mais meus...

ÉTER VERMELHO SANGUE

Preciso do éter vermelho como sangue Para anestesiar minha mente E diminuir a fúria do vulcão A lava incandescente de ideias O vapor inebriante de desejos A loucura que não me permite parar… Preciso do vermelho liquido viscoso Que me desce pelo pelo corpo E me sobe até o cérebro fervente… Apaziguar a inquietude Amenizar o rebuliço...

TALVEZ SABEREI

TALVEZ SABEREI A vontade de ser outro A vontade de ter outra coisa A esperança de conseguir um lugar longe ou perto Talvez, quem sabe, essa esperança seja a unica saída… Sei que quero tudo diferente Menos tudo que faço, vivo e espero O que fazer com esse momento atual e feio? O que fazer para sofrer menos? Não sei! Não sei! Talzez...

PESSOAS “PINOCHIAS”

Tem muita gente que é “pinnochia”. Sim, eu uso o nome do boneco de madeira do Gepetto, o Pinóquio, para me referir a pessoas mentirosas. Acho que é um dos piores defeitos do ser humano a mentira. Há pessoas que vivem de mentiras e há aquelas que criam uma mentira e acreditam na sua mentira e passam a viver dela. Não há nada...

MARIA ALICE E JOÃO CARLOS

Maria Alice saiu de casa às vinte horas em ponto. Queria estar no centro da cidade antes que os amigos chegassem ao lugar onde combinaram de se encontrar. Vestida de preto da cabeça aos pés, a ruiva deixou os cabelos longos e lisos soltos nas costas. Portadora de grandes olhos azuis de uma sagacidade imensa, ela estava radiante naquela...

ACETETO

Eu já falei de soneto. Expliquei que é uma forma literária da poesia onde temos quatorze versos. Todos devem sem ser rimados, metrificados e o mais perfeito é o “Alexandrino Clássico” onde cada verso tem doze sílabas métricas com uma sílaba tônica – a cesura – na sexta sílaba. As rimas devem ser rimas ricas...

ARTE

“Não se pode criticar a arte! Arte é tudo aquilo que o ser humano faz!” Não sei! Não sou a favor de achar uma coisa mal-feita, uma coisa de mal gosto ou que agrida à população no geral como arte. A “Semana de 1922” que abriu as portas para a Arte Moderna, permitiu que tudo fosse considerado como arte. O ser humano se...

REGRAS

Acredito que no mundo, tenhamos que sempre seguir regras. Sempre agradar alguém. Sempre. Sempre! SEMPRE! E o que interessa realmente na vida? Não no mundo, na vida. Há um milhão de regras da família, da sociedade, dos amigos, de tudo enfim. Regras para se vestir, para comer, para andar na rua, para ficar em casa sozinho … nunca! É sabido...