CADA UM AMA DE UM JEITO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

CADA UM AMA DE UM JEITO

Cada um ama de um jeito

E até sem jeito

Ama-se de forma plena

Incondicionalmente

Imprudentemente

Intensamente

Superficialmente

Mas o amor está sempre presente

Em toda forma de amar

Em toda forma de odiar

No olhar furtivo

No olhar desejoso

No tesão contido

No desejo mais oculto

Sublimado

Escamoteado

Guardado a sete chaves

Mas o.amor está dentro de cada um

Não precisa de motivo

Pra ser dado

Distribuído

Tem gente que se recusa a amar

E será sempre infeliz

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *