CRÔNICAS – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

Categoria -CRÔNICAS

O VAMPIRO MOR NA BIENAL DO RIO

Aqui estou eu: primeiro dia da XIX Bienal Internacional do Rio de Janeiro com as pernas reclamando por descanso e o corpo pedindo banho. Estou cansado e muito feliz de estar novamente envolto em tanta cultura, com tantos escritores dos quais sou fã e alguns que até me admiram um pouco. Achei que seria ruim vir para a Bienal e não ter nem mesmo...

OS ANOS TERMINADOS EM NOVE

Pode ser coincidência, ou talvez não, mas meus anos terminados em nove, todos que vivi nessa minha vida milenar, foram ruim. Uma situação de dor por uma perda qualquer, uma falência financeira, uma doença de alguém próximo, uma depressão profunda e insuportável, uma perda, uma perda… Todos os meus anos terminados em nove foram de...

TECO – O BOI VERDE – PARTE FINAL

Maurício, o neto de Geraldo, saiu da fazenda adolescente e foi estudar na cidade de Juiz de Fora. O rapaz com vinte e três anos fazia faculdade de administração e nunca mais pensou em voltar a viver na fazenda para tristeza da família toda. Vivia feliz e era um homem bonito, forte, com corpo musculoso de academia e muitas mulheres ao redor...

O BOI VERDE

Não me lembro mais quem criou o conto, mas lembro que contávamos sempre ele nas nossas rodas de conversa na faculdade há alguns anos. Era muito divertido e muita gente adorava. Enfim resolvi relatar “O caso do boi verde”. Era uma fazenda próspera com criação de gado e grande extensão de terra. O dono da fazenda, um gordo matuto por...

FEIRA LITERÁRIA DE RESENDE – RJ

Estou na 5 Feira Literária de Resende, no Estado do Rio de Janeiro. O local está lotado nesse momento de adolescentes bastante barulhentos, cheios de energia e hormônios. Já teve momentos de espaços vazios, como já tivemos momentos de “smurfs” – aquele bando de criancinhas de menos de quatro anos, ou beirando a tanto, todos...

TUDO BEM?

E aí aquele amigo me perguntou, passando por mim, na rua: _ Tudo bom? Tudo bom nada, pensei, estou indo trabalhar todo de branco nessa chuva que não para e não cai de vez, estou cansado de tanto correr de um lado para o outro nesse calorão infernal e não posso morar dentro de um iceberg, queria poder parar e jogar as pernas pra cima e não me...

ÍDOLOS

Nós queremos ser iguais a alguém. Queremos ter algo semelhante ao de alguém – alguns até querem ter o próprio objeto que a outra pessoa tem. Queremos nos comportar, nos vestir, falar, algumas vezes até pensar como outras pessoas. Queremos enfim, ter um corpo semelhante, ter um cabelo da mesma cor, usar um batom, ou uma cueca, ou uma...

HORÁRIO DE VERÃO

Hoje termina o horário de verão! Para mim, isso não interfere em nada. Eu simplesmente mudo os relógios para o horário novo, vou dormir e acordo na hora certa do dia seguinte! Muitas pessoas sofrem com essa mudança que acontece no Brasil há anos. Muitas pessoas sofrem… muitas sofrem porque querem sofrer com alguma coisa. No horário de...

INSÔNIA

Insônia! Parece que o mundo está dormindo e você não! Você está deitado. Precisa acordar cedo. O mundo espera você amanhã descansado, cheio de coisas para você fazer nas próximas doze horas e você não consegue dormir. Tenta! Vira para um lado da cama. Vira para o outro. Coça qualquer parte do corpo. Estica a perna que doeu, ou o...

O PUDIM DE QUEIJO DA MINHA AVÓ

Quando eu era criança, o Natal era comemorado com o almoço na casa da minha avó Célia, mãe do meu pai. Ela teve seis filhos, mas dois partiram mais cedo. Tio Wilson e tio Ely morreram na década de cinquenta. Meu avô, Arthur Laizo, morreu no ano que eu nasci e ele eu também não conheci. Reuniam-se então, na casa da minha avó, meu pai...