CRÔNICAS – Página: 2 – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

Categoria -CRÔNICAS

SÓ ISSO

Ela entrou no meu consultório, bonitinha, sessenta e poucos anos, vestida de flores estampadas no vestidinho preto, cabelos brancos presos um pouco acima da testa com um prendedor vermelho, olhos ativos, boca pintada e me disse: – Bom… dia… doutor… – Bom dia! – respondi-lhe eu, cumprimentando a sua acompanhante, e...

EU AMO

Hoje eu amo, mas é um amor menos tenso, menos dramático, sem as loucuras de um coração desvairado. Hoje eu amo, mas tenho em uma vida inteira a experiência que me dá a proporção certa de doação para eu não sofrer os desenganos, não me perder nas frustrações, não querer morrer a cada adeus. O amor que sinto hoje, mais maduro, mais...

AINDA DARIA TEMPO

Ele andou pelo caminho mais longo naquele dia. Queria chegar ao topo do morro, mas queria demorar em chegar lá em cima. O sol estava castigando suas costas sem camisa, mas ele não se importava com isso. O suor escorria, mas ele não se importava com isso. O mundo estava ruindo ao redor dele, mas ele não se importava com isso. Ele não queria se...

VIAGENS VIII

É do conhecimento do todos que eu sempre adorei viajar de avião. Aliás prefiro tanto o avião ao carro que demorei bastante para tirar carteira de motorista, não por incapacidade, mas por desinteresse no objetivo principal da vida de todos os adolescentes: um carro. Ao viajar pelas estradas sempre dizia, parafraseando todo mundo, que preferia...

VIAGEM VI

Com o “Filósofo” a história foi diferente, mas em semelhante viagem: Projeto Rondon no norte de Minas Gerais. Ele contou que depois de viajarem algumas horas, já com alguns tijolos expirados – devido à poeira na estrada -, a dor nas costas e quase um mal humor, ao que ele não era dado, conseguiu dormir um pouco; Sonhou com alguma...

FATOS CURIOSOS DE UM DIA

  “Saudosa maloca, maloca querida”…[1] Pelo ar invadia a voz estridente da Elisa, uma louca que morava na pensão. Sua voz aguda acordava aos poucos as pessoas que dormiam naquele sábado até mais tarde. “Saudosa maloca, maloca querida”… Aos poucos a pensão ia se movimentado e dando ar de vida. Tia Dô, na cozinha...

VIAGEM V

Houve aquela viagem que o Júnior fez para o norte de Minas em um projeto Rondon. Claro que depois de alguns lugares aí pra cima no estado – em direção ao norte – os ônibus caem de qualidade assustadoramente. E lá estava o meu amigo metido numa jardineira a caminho de algum lugar que, certamente, não consta do mapa. A viagem por essas...

VIAGEM IV

Minha primeira viagem de avião foi um presente dos deuses. Meus amigos da faculdade todos, já tinham feito Projeto Rondon – um programa do governo muito bom para assistência às regiões menos favorecidas do país que não deveria ter terminado nuca -, e na época, eu não tinha podido ir. Com certeza, foram problemas de dinheiro para coisas...

UNHA ENCRAVADA

  Eu passei um tempo em minha vida onde as minhas unhas dos pés não eram encravadas. Não doíam e eu podia usar qualquer tipo de sapato. Eu tinha unhas bonitas e pés bonitos também. Eu cuidava e gostava de ver meus pés descalços pisando no tapete da sala. Gostava de usar meias caras, importadas, de seda que encaixavam nos meus pés...

VIAGEM III

    É claro que do tempo em que tentávamos provas de residência médica, houve muitas viagens engraçadas. Houve aquela primeira prova que fomos fazer em Belo Horizonte ainda em outubro – formar-nos-íamos em dezembro – e o ônibus era quase todo da nossa turma da faculdade. Fazíamos uma confusão dentro do veículo e, me lembro...