CRÔNICAS – Página: 2 – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

Categoria -CRÔNICAS

AINDA EXISTEM CAVALHEIROS

_ Pode sentar-se aqui! – disse a voz do rapaz que se levantara e oferecia o seu lugar a uma senhora gorda. Com isso talvez, ele procurasse ser cavalheiro, talvez mostrasse aos que o olharam que ainda se podia ser gentil em pleno início de fim de século XX. O povo o olhava incrédulo como a se perguntar por que será que ele havia dado o seu...

O COVEIRO

Adélia era a mais bonita de todas as filhas de D. Clementina e a única viva da família. Com seus dezoito anos de beleza universal, Adélia era triste e sem a juventude necessária à idade. Como era de costume, toda semana levava flores ao túmulo da mãe e das irmãs. E é aí que a encontramos agora: – sentada na sepultura branca, fria...

O BÊBADO

Deitado em uma mesa do Pronto Socorro estava um bêbado. Eu já o tinha atendido, medicado e percebera que era apenas um estado de embriaguez com algumas escoriações no rosto. Mandei que a enfermeira fizesse uma limpeza em seu rosto, curativo… Não havia mais o que lhe dar, deveria deixa-lo ficar deitado até chegar alguém de sua...

A LINHA TÊNUE DA VIDA

O ser humano vive em uma linha tênue entre a sanidade e a loucura. Se sair demais da superfície, tende a ser louco e fora do contexto da normalidade aceita pela sociedade. Se afundar demais, cai na depressão e tristeza profunda correndo o risco de tentar o autoextermínio. Vive-se na linha bamba em todos os momentos. Há necessidade de vigiar e...

A SURPRESA

A amorada lhe fizera surpresas. Viera de longe, sentira saudade e resolvera: “É hoje” – dissera-se ela. E lá se foi, tomou o ônibus na cidadezinha do interior, viagem dura, o tempo não passava… O calor do ônibus, o bafafá dos vizinhos de poltrona… Enfim, a cidade do namorado se aproximava. O sorriso se lhe aflorou ao rosto...

SÓ ISSO

Ela entrou no meu consultório, bonitinha, sessenta e poucos anos, vestida de flores estampadas no vestidinho preto, cabelos brancos presos um pouco acima da testa com um prendedor vermelho, olhos ativos, boca pintada e me disse: – Bom… dia… doutor… – Bom dia! – respondi-lhe eu, cumprimentando a sua acompanhante, e...

EU AMO

Hoje eu amo, mas é um amor menos tenso, menos dramático, sem as loucuras de um coração desvairado. Hoje eu amo, mas tenho em uma vida inteira a experiência que me dá a proporção certa de doação para eu não sofrer os desenganos, não me perder nas frustrações, não querer morrer a cada adeus. O amor que sinto hoje, mais maduro, mais...

AINDA DARIA TEMPO

Ele andou pelo caminho mais longo naquele dia. Queria chegar ao topo do morro, mas queria demorar em chegar lá em cima. O sol estava castigando suas costas sem camisa, mas ele não se importava com isso. O suor escorria, mas ele não se importava com isso. O mundo estava ruindo ao redor dele, mas ele não se importava com isso. Ele não queria se...

VIAGENS VIII

É do conhecimento do todos que eu sempre adorei viajar de avião. Aliás prefiro tanto o avião ao carro que demorei bastante para tirar carteira de motorista, não por incapacidade, mas por desinteresse no objetivo principal da vida de todos os adolescentes: um carro. Ao viajar pelas estradas sempre dizia, parafraseando todo mundo, que preferia...

VIAGEM VI

Com o “Filósofo” a história foi diferente, mas em semelhante viagem: Projeto Rondon no norte de Minas Gerais. Ele contou que depois de viajarem algumas horas, já com alguns tijolos expirados – devido à poeira na estrada -, a dor nas costas e quase um mal humor, ao que ele não era dado, conseguiu dormir um pouco; Sonhou com alguma...