Sem categoria – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

Categoria -Sem categoria

FELIZ NATAL

Meus amigos, Nessa época do ano a gente acaba correndo um pouco mais e por isso mesmo ando postando menos coisas no Blog. Adoro postar meus textos por aqui e gosto mais ainda quando sei que vocês leram e me dão suas opiniões, republicam em seus Blogs, enfim, sei que vocês e eu  estamos em contato desde sempre trabalhando para mostrar coisas...

PENSAMENTOS

No alto da colina, Um vulto azul se descortina: – É o céu que desaparece Nas sombras de uma noite próxima. O sol morreu há muito de cima Dos mais altos morros, escurece…   Eu encontro no mar Um sonho perdido a voar Por entre peixes multicores… A lua reflete-se nas águas, Meu rosto talvez, transpire mágoas De dias...

VIAGEM IV

Minha primeira viagem de avião foi um presente dos deuses. Meus amigos da faculdade todos, já tinham feito Projeto Rondon – um programa do governo muito bom para assistência às regiões menos favorecidas do país que não deveria ter terminado nuca -, e na época, eu não tinha podido ir. Com certeza, foram problemas de dinheiro para coisas...

ETERNO SOLITÁRIO

Sou o eterno solitário Que vaga nas ruas desertas Procurando paz.   Sou o eterno solitário E procuro matar minha sede, minha fome, minha ânsia De encontrar a liberdade, a justiça verdadeira…   A voz cala-me no peito, As lágrimas secam-se em seu ventre. não posso falar, não devo chorar… Serei eu o único solitário?

A VIDA PASSA

O sol se esconde de trás das montanhas, A tarde que cai é triste, até medonha…   O vento da noite agitando meus cabelos, Me trás desejos que não posso tê-los.   Me faz cantigas de ninar, de sonhar, Me lembra o som doce do mar…   Na terra que racha aos meus pés, Na sombra que me faz ter fé   No dia seguinte...

VIAGENS II

Outra vez, também durante uma volta minha de Conselheiro Lafaiete para Juiz de Fora, o fato foi muito interessante. Entrei no ônibus na rodoviária e a cidade inteira estava “pegando fogo” com o CARNALAFÁ – carnaval temporão – se bem me lembro, em agosto. Claro que, como sempre, me sentei à janela e, som ligado, fones de ouvido...

A MANSÃO DO RIO VERMELHO

O aparecimento do corpo decapitado de uma jovem loira em um terreno baldio dá início a uma busca pelo assassino. Mobiliza a polícia e a população em busca da verdade. Seria mais um assassinato do serial killer do norte do país? Jaime é um psicólogo que adora mistérios e sabe quem é o verdadeiro autor de crime tão brutal. Mas ele é...