Sem categoria – Página: 2 – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

Categoria -Sem categoria

FELIZ

Sempre pensei em ti primeiro. Arrasei minha vida em vários momentos, Destruí diversas vezes as estacas da ponte Que me unia ao resto do mundo E sempre que quis fugir de ti Caia no vazio e me afogava No rio de lágrimas que chorei por ti.   Eu sempre quis ter-te ao meu lado Buscando iluminar minha existência E fechei todas as...

POETA

Por que poesia? Porque através dela, com poucas palavras, podemos expressar um sentimento imenso! Porque através dela, podemos amar, odiar, jogar pra fora tudo o que nos incomoda e tudo o que nos impede de ser felizes! O poeta é triste? Na maioria das vezes o poeta é triste, é solitário, é um amante não correspondido que sofre por uma...

AS BRUXAS – PRIMEIRO CAPÍTULO

Naquela cidade pequena do interior, na última sexta-feira de cada mês, reuniam-se as cinco mulheres mais velhas do município para tomar um chá à meia noite. Sim! Um chá a meia noite! As famílias delas não se importavam com a reunião das velhas e como era uma cidade pequena, ninguém nunca vira ou ouvira dizer o que acontecia no chá da...

DESESPERANÇA

Não sei se vale a pena Fechar os olhos e sonhar Que o passado ainda está presente E que o futuro pode me sorrir! Sonhos são sempre frutos De uma imaginação Que, como o néctar, nos alimenta o dia. E sempre que deixamos o travesseiro, Percebemos a cama fria Como a realidade. Não há sonhos realizáveis? Não há mais o que esperar! O passado...

PONTO DE ÔNIBUS

Às vezes eu fico olhando os pontos de ônibus em horários de pico e pensando: como é bom voltar para casa depois de um dia de trabalho exaustivo. Você passa horas a fio no trabalho para tirar o sustento da família e está na hora de voltar para o lar. De manhã foi um sacrifício igual. Acordou cedo, com vontade e necessidade de dormir pelo...

ODEIO TE AMAR!

Odeio te amar! Odeio pensar em ti Todo o meu dia. Ultrapassar meu dia pensando em ti, Deixar de viver-me para viver-te, Deixar de ser eu para ser somente tu, Procurar em mim resquícios Do nada que sobrou, Do nada que sou, Do… sou? Odeio amar-te! Preferia minha solidão sozinho Que a minha solidão Acompanhado do teu descaso. Adoraria não...