COMEDIA DELL’ARTE – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

COMEDIA DELL’ARTE

Uma arte pouco valorizada na época por ser itinerante, a Comedia dell’arte surgiu na Itália no século XV e permaneceu viva até o século XVIII. Era uma frente do teatro renascentista. Depois da Itália, a Comedia dell’arte chegou à França com o nome de “Comédia Italiana”. A decadência desse tipo de teatro popular aconteceu no século XVIII provavelmente devido à própria estrutura: Não havia um roteiro ou script escrito, cada ator representava o seu personagem pela vida inteira e criavam a história que era normalmente diferente em cada apresentação.
A grande diferença desse tipo de teatro e o teatro qu estava sendo produzido na renascença era justamente o caráter popular. Ou seja, o teatro renascentista se apoiava nos clássicos e a Comedia dell’arte se opunha ao erudito. Outra característica importante era o caráter itinerante e os atores normalmente se apresentavam em locais públicos como praças, ruas e em palcos improvisados como carroças por exemplo. Como não havia um texto a seguir, o canovaccio, ou roteiro, era totalmente livre para que os atores fizessem o espetáculo. Por isso mesmo, foi também chamada de “Comedia all’improviso”.
Os personagens normalmente eram caricaturados, tipificados e estereotipados. Dividiam-se em três grupos: os enamorados, os criados e os patrões. Os enamorados, como estavam buscando o casamento, normalmente não eram cômicos, os criados, pessoas de baixa renda, eram os mais engraçados e que se sobressaiam no espetáculo. O terceiro grupo era aquele dos patrões, ou velhos, eram pessoas que possuíam uma situação financeira melhor.
Dos personagens mais populares, destacava-se o Arlequim. Era um personagem trapaceiro, cômico, malandro e criativo como os outros Zannis. Outros da mesma categoria: Pulcinella, Pedrollino, Brighela, Temellino, Nepolino, Fagotino, Truffaldino, Pasqualino, Bertolino, Tortelino e outros.
O efeito cômico se dava justamente pela atuação de seus personagens.
São personagens da commedia dell’arte:

– Arlecchino: era principal figura da commedia dell’arte, era um servo e palhaço trapalhado, ágil e malandro.
– Colombina: criada graciosa, inteligente, ágil e habilidosa, única criada feminina, namorada de Arlequim. Era também reconhecida pelos nomes: Esmeraldina, Diamantina, Pasquela, Ricciolina, Coralina, Argentina e Franceschina.
– Pantalone: também chamado de Pantaleão, era o velho rico, conservador, autoritário e avarento.
– Brighella: servo fiel, astuto, egoísta, ágil e cínico. Trata-se de um trapaceiro cantor que trabalha para Pantalone.
– Pedrollino: também chamado de Pedro ou Pierrot, era um servo fiel e honesto.
– Pulcinella: era um corcunda também conhecido com Punch.
– Dottore: também conhecido pelo nome Graziano. Era um velho rico, charlatão e avarento. Aliado de Pantalone, possuía uma postura de intelectual.
– Capitano: conhecido como capitão, ele é fanfarrão, mentiroso, preguiçoso e forte. No entanto, tem uma postura covarde nas batalhas e no amor.
– Orazio: enamorado ingênuo, fútil, atraente e vaidoso, movido pela paixão. Além dele, era comum o enamorado Leandro.
– Isabella: enamorada inocente, vaidosa e com alto poder de sedução. Ela apaixonava-se com facilidade. Além dela, destacam-se as enamoradas: Rosalba, Flavínia e Lavínia.

Na Comedia dell’arte, além do figurino colorido, os personagens usavam máscaras, exceto os enamorados que eram a parte não cômica da história.

A Comedia dll’arte seguia o improviso. Existia o canovaccio que era um roteiro para a apresentação e os atores que incorporavam o personagem pela vida toda tinham liberdade de atuação e para contarem a história, utilizavam elementos como acrobacias e palhaçadas.
A sua origem, incerta, era assimilada às Festas Atellanas, que aconteciam em Atella, também na Itália, para homenagear o deus Baco, mas nunca houve registros que confirmassem uma verdadeira ligação ou influência das Festas Atellanas sobre a Commédia Dell’ Arte.
A partir da Commédia Dell’ Arte que, utilizava sempre um mesmo número de atores, surgiram as companhias de teatro. A primeira companhia conhecida foi a I Gelosi (Os Ciumentos), fundada em 1545 por oito atores. Angelo Beolco que foi um dos grandes escritores deste estilo, criou personagens caracterizados esuas peças foram adaptadas e reutilizadas após muitos anos. Ele fazia o papel de Ruzzatane, um camponês gordo, preguiçoso e grosseiro. Carlos Goldoni, no século XVIII, tentou recuperar a Commédia Dell’ Arte que entrou em declínio e começou a ser considerada vulgar. Para isso introduziu nas peças elementos da vida real e textos escritos para cada um dos atores, isto impulsionou as grandes Companhias, que passaram a viajar pela Europa, levando seus espetáculos a vários países. Esta forma de teatro influenciou drasticamente a forma com que os personagens eram vistos e criados.
Dos personagens da Comedia dell’arte, são utilizadas as roupas de Arlequim, Colombina e Pierrô no carnaval em todo mundo.

https://www.infoescola.com/teatro/commedia-dellarte/
https://www.todamateria.com.br/comedia-dell-arte/
http://cidadedasartes.rio.rj.gov.br/noticias/interna/405

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *