DESDIZER – ANTÔNIO CARLOS SECCHIN – RESENHA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

DESDIZER – ANTÔNIO CARLOS SECCHIN – RESENHA

título: DESDIZER – 1ªED.(2017)
isbn: 9788574752662
idioma: Português
encadernação: Capa dura
formato: 16 x 23,7
páginas: 212
ano de edição: 2017
ano copyright: 2017
edição: 1ª

autor: Antonio Carlos Secchin

Quarta capa:
Desdizer reúne livro inédito e a poesia anterior de Antonio Carlos Secchin, revista e agora estampada em versão definitiva. Membro da Academia Brasileira de Letras, consagrado ensaísta e professor emérito da UFRJ, Secchin retorna à poesia 15 anos após o lançamento de Todos os ventos, ganhador dos mais relevantes prêmios para a melhor obra poética de 2002. Uma poesia marcadamente autoral, alheia a grupos e facções, que circula em amplo território de temas e de formas, conciliando densidade reflexiva, humor, clareza e sofisticado domínio técnico.

RESENHA:
O livro é primoroso. É muito bem diagramado e o poeta teve o cuidado de dividir seus poemas em datas. Toda a poesia do autor é apresentada nesse volume que prende a atenção do leitor.
Na primeira poesia “NA ANTESSALA”, o autor brinca com os heterônimos de Fernando Pessoa, os “dons” de Drummond e a lírica de Cecilia Meireles para se apresentar como Antônio Secchin. Muito bem elaborado.
Editada pela Topbooks, a obra reúne – numa configuração cronológica inversa à apresentada no volume -, poemas dos livros anteriores do poeta, divididos em dois blocos, a saber: 1º: o Antes onde figuram poemas dos livros Ária de Estação, gestado entre (1969-1973), Dispersos (1974-1982), Elementos (1974-1983), Diga-se de passagem (1983-1988), Aforismos (1991-1999), Todos os ventos (1997-2002) e um, 2º bloco a enfeixar 31 poemas mais recentes que compõem propriamente este Desdizer. (https://homoliteratus.com/o-desdizer-de-secchin/)
O poeta brinca com as palavras e cria uma imagem espetacular. Sabe usar as figuras de linguagem para nos dizer aquilo que quer com o mistério que a poesia permite.
“CARTA AOS PAIS” é uma homenagem linda aos pais.
“VINÍCIUS REVISITADO” é um poema lindo que dá um grande abraço ao Poetinha através de seus poemas.
O poeta modernista, pós-modernista não deixa de visitar formas clássicas e nos apresenta vários sonetos. Vale a pena frisar que são sonetos nem sempre rimados, mas com a métrica perfeita em alguns e com formato de soneto inglês em outros.
“Há trinta anos eu intento
compor o que será uma obra-prima.
Exausta do exercício, minha mão
não avança e tampouco sai de cima.”
Ele brinca nesse soneto incompleto – treze versos -, terminando com uma rima quase impossível: “lâmpada”.
Enfim, o livro de Secchin é um passeio maravilhoso pela poesia do autor que nos apresenta desde sonetos a poemas livres, muitas vezes, poemas minimalistas.
Eu recomendo o livro “DESDIZER” de ANTÔNIO CARLOS SECCHIN.

O AUTOR:

Antonio Carlos Secchin (Rio de Janeiro, 10 de junho de 1952) é um poeta, ensaísta e crítico literário brasileiro.
É membro da Academia Brasileira de Letras, eleito em 3 de junho de 2004, sucedendo Marcos Almir Madeira. Doutor em letras, é professor titular de Literatura Brasileira da Universidade Federal do Rio de Janeiro desde 1993. Ganhador de diversos prêmios literários, organizador de antologias como as de João Cabral de Melo Neto, Cecília Meireles (edição do centenário), Mário Pederneiras, dentre outros.

Onde comprar:

Nas melhores livrarias do país
Com o próprio autor nas suas redes sociais
Ou:
https://www.travessa.com.br/desdizer-1-ed-2017/artigo/9ef45440-d16b-4660-b8b2-bf31605e66ba

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *