DESEJO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

DESEJO

Se eu te pudesse ter agora, sem barreiras,

sem censura,

sem bloqueios

E encontrasse em ti a minha busca…

 

Talvez quem sabe até abrir-me-ias os olhos,

Talvez até abrir-me-ias os braços,

E no momento que dou tudo por perdido,

Soprarias de novo esse fogo no meu peito…

 

Se eu te pudesse ter agora,

Como sempre sonhei,

desejei,

imaginei,

E não tive talvez porque só busquei-te em sonhos,

Estaria o mundo em festa,

Estourariam fogos,

Ouvir-se-ia música…

Eu somente, no entanto, conseguiria ouvir-te,

tocar-te,

amar-te,

possuir-te,

No máximo desejo que me corrói!

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

1 comentárioDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *