DIÁRIO DO CONFINAMENTO – 25 – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

DIÁRIO DO CONFINAMENTO – 25

DIÁRIO DO CONFINAMENTO – 25
Dia 16 de junho de 2020
D 96

Mundo:
Confirmados: 7.823.289; Mortes: 431.541;
Brasil:
Confirmados: 891.896; Casos recuperados: 453.568; Mortes: 44.148;
Minas Gerais:
Confirmados: 21.381; Mortes: 475;
Juiz de Fora:
Confirmados: 872; mortes: 40.

E o comércio está reabrindo. Estão começando a flexibilizar o confinamento. No jornal da televisão, mostram que essa pequena liberação da quarentena já deixou que se abrisse boates com mais de trezentas pessoas, muitas pessoas nas ruas e muitas sem máscara, sem proteção, sem acreditar que ainda possa acontecer algo pior.
Aparecem na televisão pessoas que choram a perda de entes queridos. Será que na hora do isolamento social pensaram nisso e se mantiveram em casa? As pessoas brigam e discutem uma situação que é inevitável. Não dá para refazer a história e não termos essa pandemia a incomodar nosso dia, nossa mente, nossa família e nossos relacionamentos.
Estamos ainda em confinamento! Não dá para sair para as ruas sem proteção e sem cuidados. Ainda há muitas mortes no nordeste e no estado de São Paulo. Ainda há muitos contaminados e muitos pacientes graves. Muita gente ainda vai morrer no Brasil pelo Covid19.
Ontem eu dei uma aula de Covid19 na faculdade e o que tive a dizer? Ainda não há tratamento específico. Ainda não há vacina para evitar a doença. Há algumas verdades como “Cloroquina não é remédio específico e não tem ação para tratamento da Covid19”.
A política brasileira continua uma grande incerteza. Não se sabe onde se vai parar com tantas dúvidas e com tantas falcatruas descobertas a cada dia. Ninguém está seguro no cargo que ocupa no governo brasileiro e todo mundo pode cair a qualquer momento. Acho que a chance de cair se estende inclusive ao presidente se continuar no caminho que vai.
O povo brasileiro “inculto e belo” não tem informação e nem cultura para evitar manifestações que remetem a situações históricas de grande chacina e opressão sem limites. O que querem? Talvez nem eles mesmos saibam. Fazem atos antidemocráticos e clamam por um retardo histórico inconcebível.
O confinamento está sendo produtivo para muita gente. Tem muitos brasileiros produzindo muita coisa, refazendo algumas obras, consertando estragos inclusive de relacionamentos. Os relacionamentos estão se estabilizando. Quem convive e tem uma instabilidade nesse relacionamento, provavelmente não vai dar conta de viver junto. Mas há aqueles relacionamentos estáveis, sustentáveis e que com o fato de ter que viver juntos muitas horas do dia, cresceram e se fortificaram.
Muitas lives estão acontecendo para informação, diversão, aulas, reuniões, cursos. E essa é uma forma de se manter juntos, mesmo que, em uma aula por exemplo, a gente fale sozinho, sabe que está com um grupo assistindo aquilo que você quer passar. Muita gente aproveitando e aprendendo com essas lives. Há até congressos on-line com grande aproveitamento.
Estou fazendo duas lives semanais: sextas-feiras às 19:30 uma entrevista no instagram da LEIAJF e um projeto “POESIA BRASILEIRA”, no meu instagram, onde apresento um poeta brasileiro todo domingo às 17:00. Esse projeto visa apresentar o poeta, o estilo literário e serve para informação e divertimento de quem participa. Alguns poetas trouxeram um público bastante grande. Uma resenha depois é feita no meu canal do YOUTUBE. Acompanhe!
Enfim a ideia é seguir na prevenção. Ainda ficar em casa é a solução.
Devagar vamos conseguir passar por esse momento difícil em vários setores.
Deus sempre estará disposto a nos dar forças para fazer alguma coisa.

Endereços:
Instagram Artur Laizo: @artur_laizo_escritor
Instagram LEIAJF: @ligadeescritoresjf
YouTube: Artur Laizo

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *