DIÁRIO DO CONFINAMENTO – AGORA VACINADO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

DIÁRIO DO CONFINAMENTO – AGORA VACINADO

Dia 28 de janeiro de 2021

Mundo:
Confirmados: 100.270.602; Mortes: 2.157.355;
Brasil:
Confirmados: 8.996.876; Mortes: 220.161;
Minas Gerais:
Confirmados: 707.649; Mortes: 14.544;
Juiz de Fora:
Confirmados: 16.850; mortes: 685.

Estou vacinado!
Acabei de tomar a primeira dose da vacina que foi destinada a Juiz de Fora. Qual que é mesmo? Isso interessa?
Interessa que eu tomei a vacina na prioridade por ser médico, por trabalhar em UTI, por ter mais de 25 anos – kkkkk – e porque é necessário. Interessa que sou menos um dos que não estarão vacinados e isso diminui a propagação da doença. Várias vacinas já foram distribuídas na cidade, no país e no mundo. Quanto mais vacinados, mais proteção, menos doença.
Quando puderem, vacinem-se todos! VACINEM-SE TODOS!
O ideal seria que TODOS OS SERES HUMANOS fossem vacinados já e que a gente conseguisse erradicar essa doença como já conseguimos fazer com outras.
Infelizmente, temos tanta gente que não consegue enxergar e além de acreditar em bobagens, pregam esse amor, essa veneração a um governo que está preconizando morte e violência.
Estou vacinado! Não falta nenhuma outra vacina no meu cartão vacinal. Eu acredito em vacina! Acredito nessa medicina preventiva e, se podemos, por que não evitar doenças? Conseguimos erradicar a poliomielite. Quem não se interessa por história e passado, não sabe a importância de ter acabado com essa doença tão incapacitante e fatal.
Conseguimos erradicar a varíola – Doença assustadora. Conseguimos fazer desaparecer o sarampo.
Estamos tendo tantos casos novos de sarampo. Por quê?
Porque existem muitas pessoas – negacionistas – que são contra a vacina. Quem é contra a vacinação como prevenção não corre só o risco de adoecer e morrer por essas doenças, mas estão disseminando doenças. Deveriam ser punidos como criminosos.
Eu tenho o direito de me vacinar ou não. Claro! Desde que a sua individualidade não agrida a individualidade do próximo, faça o que você quiser. Desde o momento em que se vive em comunidade, nosso espaço individual é aquele que não invade o do nosso parente, do nosso vizinho, das pessoas que vivem na nossa cidade. Se você pode ser um disseminador de uma doença como essa virose maldita, você tem que se vacinar.
Conseguiremos vacinar a grande maioria da população mundial e isso tudo vai passar.
Vamos lembrar um dia em 1820 a epidemia de Cólera, em 1920 Gripe espanhola e em 2020 uma pandemia de Corona vírus. Cabalístico? Não sei! As datas estão mais ou menos corretas sendo que as doenças duraram mais de um ano.
Shakespeare disse: “Há mais mistérios entre o céu e a terra do que possa supor nossa vã filosofia”. Hamlet 1601.
Enquanto todos não forem vacinados, temos que continuar usando máscaras, álcool gel e distanciamento social. Respeitem a vida!
Fiquem com Deus!

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *