DIÁRIO DO CONFINAMENTO – D 7 – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

DIÁRIO DO CONFINAMENTO – D 7

DIÁRIO DO CONFINAMENTO – D 19
05 de abril de 2020

As notícias continuam. Ficar somente em casa é sempre entediante. Mas a quarentena é necessária. O confinamento para o distanciamento social é fundamental. Hoje é domingo, dia normalmente de grande tédio. Hoje as notícias são igualmente terríveis. A gente está vendo que o povo está cada vez mais desrespeitando essa imposição de ficar em casa e, como o inimigo é invisível, estão todos nas ruas. Há comércios que com a desculpa de vender por delivery abriram as portas e o povo vai na rua comprar um metro de fita de cetim porque é extremamente necessário para sua vida. Quando não mais respirar, com a doença, a fita não poderá ajudar.
A notícia mais fresca é a de 1,2 milhão de pessoas infectadas no mundo com 64 mil mortos. A doença se espalha.
Vi na televisão italiana na sexta-feira e, como sempre me emociono, chorei junto, a polícia da Umbria tocando e cantando o hino nacional italiano, “FRATELLI D’ITALIA”, para homenagear os setenta e três médicos que morreram no combate ao vírus naquele território. Médicos morreram! Médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, todos, todos que estão na linha de frente no combate à pandemia, estamos na linha de frente dessa guerra e podemos sim sofrer as consequências da contaminação. Há colegas que estão com a doença em atividade em maior ou menor gravidade, mas a área da saúde é composta de seres humanos sem superpoderes. Não temos capas vermelhas, ou um superamendoim que nos torna seres blindados e inatingíveis. Nós temos famílias e há lugares onde o trabalhador da saúde deixou de ir em casa para ver filhos, esposa, pais, e permanece dentro do local de trabalho vinte e quatro horas por dia todo dia para evitar levar a contaminação para seus entes queridos.
Estamos parados e está tudo fechado. O povo reclama e pensa que sem trabalhar não vai conseguir pagar contas e comprar alimentos e supérfluos dos quais tanto necessita. Se não continuar com o confinamento por mais algum tempo, não vai conseguir comprar, nem pagar, pior, não vai conseguir respirar e sem oxigênio, não há vida.
A situação está séria e pode piorar. Há um número muito grande de mortes em todos os lugares do mundo e ainda estamos esperando o pior para o Brasil. “A situação aqui é diferente porque é um lugar quente” – já disseram. Quente, sim! O Ceará é o terceiro no pódio do maior número de óbito perdendo apenas para Rio de Janeiro e São Paulo que, nas Américas, só não é maior em número de habitantes que a cidade do México. Temos óbitos e muitos casos na Amazônia. Enfim, em todos os estados brasileiros já há uma metástase desse “câncer” novo que está enraizando pelo mundo.
Continuarei dizendo que precisamos nos cuidar. Precisamos deixar de correr o risco de sermos vetores de transmissão de pessoas doentes para nossos idosos e indefesos dentro de casa. Ficar em casa é a melhor opção para o momento.
Vi na televisão também que a mais jovem pessoa que morreu pelo Corona vírus tinha apenas 13 anos, era uma menina saudável, praticante de esportes e não resistiu. Não podemos continuar com essa ideia errônea que é uma doença que vai matar idosos com morbidade elevada. Ao sair de casa para fazer o estritamente necessário, use máscara. Se de todo, não estiver mesmo acreditando na situação caótica em que se encontra o mundo, pense na sua família e escolha alguém que você acha que não fará diferença perder. Infelizmente, não temos como escolher.
Às vezes, as palavras mais duras machucam e incomodam. Não quero parecer grosso ou mal educado. Estou tentando mostrar uma realidade fazendo esse “Diário do confinamento” no meu blog que é estritamente literário. Estou falando aqui de uma realidade que pode mudar a cara do mundo. Precisamos mudar nós mesmos interiormente. Podemos aproveitar a quarentena e estudar alguma coisa nova. Podemos aprender com esse isolamento social o quanto as pessoas nos são importantes e procurar por elas, mesmo que seja pelas nossas redes sociais. Procurem os amigos. Deem “bom dia” de manhã cedo e peçam notícias. Demonstrem que, mesmo longe, essa pessoa é importante para vocês. Vamos tirar desse confinamento alguma coisa boa. Vamos crescer com isso e nos tornar pessoas melhores. Vamos transformar o nosso mundo em um mundo melhor.
Estou publicando esse diário, como eu disse, no meu Blog Literário. Quem sabe ler os mais de quinhentos posts desse blog não pode ajudar você a passar o tempo em casa? No Blog tem de tudo, contos, crônicas, poesias, minhas opiniões sobre algumas coisas, resenha de livros. Dá uma passeada pelo Blog e me conta o que mais interessou depois.
Hoje é domingo e um longo domingo sem muito que fazer me espera. Não deixarei que o tédio me incomode hoje e vou, mesmo ficando em casa, conversar com meus parentes e amigos e saber de todos eles como estão se cuidando. Vou incentivar a todos que tenham paciência porque vale muito a pena preservar todos que a gente ama.
Faça por você, mas também faça por aqueles que você ama.
FIQUE EM CASA! USE MÁSCARA! SÓ SAIA SE FOR ESTRITAMENTE NECESSÁRIO!
Que Deus sempre olhe por nós!

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *