FÁCIL – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

FÁCIL

 

Pensei que fosse fácil

Esquecer o seu abraço,

Seu jeito meio sem graça

Ao me olhar e beijar…

 

Pensei que fosse fácil

Não ouvir mais sua voz,

Não sentir mais suas mãos,

Seu olhar tímido,

Seu sorriso alegre e às vezes triste,

E as coisas que me falava

E só você sabia por quê…

 

Pensei que fosse fácil,

A vida sem você,

Os olhos sem te ver,

O frio na alma…

Mas não! Nada é fácil…

 

Tudo dói, mas tudo passou!

E passando, passou você também.

E do milagre do amor

Nasceu a força da amizade.

Tudo passa, tudo desaparece

E tudo se reconstrói.

Mas não é fácil!

Tudo foge cada dia mais

Do meu controle..

.fogo

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

7 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *