FELIZ – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

FELIZ

feliz

Sempre pensei em ti primeiro.

Arrasei minha vida em vários momentos,

Destruí diversas vezes as estacas da ponte

Que me unia ao resto do mundo

E sempre que quis fugir de ti

Caia no vazio e me afogava

No rio de lágrimas que chorei por ti.

 

Eu sempre quis ter-te ao meu lado

Buscando iluminar minha existência

E fechei todas as janelas

Impedindo que a luz entrasse

E me congelei na solidão,

Quando ao sair do meu mundo,

Tu trancaste a porta…

 

Eu sempre achei que contigo

Meus dias seriam mais alegres, felizes…

Mas, tinhas, também tu,

Que repartir teus dias

E alegrar d’outros, outros dias…

Os meus…

Sem ti eram noites.

 

Sempre pensei em ti

Antes de todas as coisas, todos os meus sonhos…

Aliás, tu foste o meu maior sonho,

O meu maior pesadelo,

Foste a minha dor, a maior incerteza,

Foste a minha anulação,

O meu desespero, o meu vazio…

 

Sempre pensei em ti…

Hoje minhas pontes me levam onde quero

E minhas janelas iluminam-me a alma,

Refrescam-me o quarto.

Meus dias são felizes, alegres

E não há mais pesadelos… nem sonhos!

 

Não tenho mais porque sofrer por ti

Que se foi e não interessa para onde.

Mas levaste minha alegria e a vontade de sonhar.

Se é pela falta do desejo

Que se pode ser feliz

Sou o homem mais feliz do mundo

Já que não desejo mais nada depois de ti!

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

2 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *