FERREIRA GOULART – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

FERREIRA GOULART

poema-de-ferreira-gullar

Estou na caridade da evolução do meu ser. Quero ser menina, encontro-me mulher… Quero ser mulher, vejo-me menina…

“Uma parte de mim é só vertigem: outra parte, linguagem.”

Como um tempo de alegria,por trás do terror me acena,… E a noite carrega o dia, no seu colo de açucena………. Sei que dois e dois são quatro, Sei que a vida vale a pena,…. mesmo que o pão seja caro e a liberdade, pequena…

De noite, como
a luz é pouca,
a gente tem impressão
de que o tempo não passa
ou pelo menos não escorre
como escorre de dia

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

4 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *