LITERATURA – CONTO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

LITERATURA – CONTO

O QUE É UM CONTO?

O conto é um texto narrativo, referente a determinado acontecimento ou relato, podendo ser real, esportivo, ou uma obra de ficção, um texto ficcional. Cria um universo de seres e acontecimentos de ficção, de fantasia ou imaginação, ou relata uma situação sob o ponto de vista do autor. Como todos os textos de ficção, o conto apresenta um narrador, personagens, ponto de vista e enredo.

Classicamente, diz-se que o conto se define pela sua pequena extensão e por ser mais curto que a novela ou o romance, o conto tem uma estrutura fechada, desenvolve uma história e tem apenas um clímax. Num romance, a trama desdobra-se em conflitos secundários, o que não acontece com o conto. O conto é conciso.

O conto tem uma grande flexibilidade podendo se aproximar da poesia ou da crônica, seus ancestrais estão entre a parábola, o conto de fadas e até mesmo as anedotas.

O conto remonta aos tempos antigos, representado pelas narrativas orais dos antigos povos nas noites de luar, passando pelos gregos e romanos, lendas orientais, parábolas bíblicas, novelas medievais italianas, pelas fábulas francesas de Esopo e La Fontaine, chegando até os livros, como hoje conhecemos.

O conto raramente é publicado isolado. Normalmente faz parte de livros de contos, de antologias e, hoje com o advento da internet, é publicado em Blogs literários.

Por exemplo, o conto “Uma Galinha”, de Clarice Lispector, faz parte do livro “Laços de Família”.

As antologias reúnem os contos por por categorias relacionadas ao gênero, denominando-se em contos maravilhosos, policiais, de amor, ficção científica, fantásticos, de terror, mistério, dentre outras classificações, tais como tradicional, moderno e contemporâneo.

Na estrutura do conto  temos todos os elementos que compõem a narrativa, ou seja, tempo, espaço, poucos personagens, foco narrativo de 1ª ou 3ª pessoa, uma sequência de fatos que constituem o enredo, também chamado de trama.

O importante é que o enredo apresenta-se de forma condensada e sintética, centrado em um único conflito, criando um efeito no próprio leitor, manifestado pela admiração, espanto, medo, desconcerto, surpresa, entre outros. O conto é um texto narrativo curto centrado em um relato referente a um fato ou memória.

Pelo caráter de fragmento, o conto precisa causar um efeito mais direto no leitor do que, por exemplo, o romance ou a novela, gêneros narrativos mais longos. Essa peculiaridade levou alguns escritores a afirmarem sua superioridade em relação às narrativas mais longas. Segundo Machado de Assis: “O tamanho não é o que faz mal a este gênero de histórias. É naturalmente a qualidade; mas há sempre uma qualidade nos contos que os torna superiores aos grandes romances, se uns e outros são medíocres: é serem curtos”.

Já o argentino Júlio Cortázar, outro mestre das narrativas curtas, sintetiza bem esse espírito quando afirma, em analogia com o Boxe, que “O romance vence sempre por pontos, enquanto o conto deve vencer por nocaute”.

TANTO NA HORA DE LER OU ESCREVER UM CONTO É IMPORTANTE:

Formular as perguntas e obter as respostas ajuda a conhecer o conto por dentro:

Quais são os personagens principais?

O que acontece na história?

Em que tempo e em que lugar se passa a história narrada?

E algo bem importante: Quem narra? De que jeito? O narrador conta de fora ou ele também é um dos personagens?

Depois dessa análise, fica mais fácil interpretar a obra. Já temos uma base para comentar, comparar, atribuir valor, julgar. Nossa leitura está mais fundamentada. Fica mais fácil responder à pergunta: O que você achou do conto?

Referências:

https://educacao.uol.com.br/disciplinas/portugues/conto-caracteristicas-do-genero-literario.htm?cmpid=copiaecola

https://brasilescola.uol.com.br/literatura/o-conto.htm

https://www.infoescola.com/redacao/conto/

https://www.estudokids.com.br/o-que-e-um-conto/

https://portugues.uol.com.br/literatura/o-conto-suas-demarcacoes-.html

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

2 comentáriosDeixe um comentário

  • Outro ponto que seria importante abordar, é a questão da história aparente e da história oculta, muito presente nos contos. A história aparente, é o que o leitor enxerga, em primeira mão, quando se inicia a leitura do conto. A história oculta, na verdade, é o cerne do conto, seria o “plot twist”, aquele desfecho surpreendente, mas que estava o tempo todo ali, desde o início do conto, mas do qual o leitor não havia ainda se dado conta. Amo ler contos e amo escrevê-los, é um exercício sensacional de escrita! Parabéns pelo artigo!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *