O CRAVO PEREGRINO – LUIZ ALMEIDA – RESENHA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

O CRAVO PEREGRINO – LUIZ ALMEIDA – RESENHA

O CRAVO PEREGRINO
Autor: LUIZ ALMEIDA
Editora: Gryphon Edições
Ano de publicação: 2020
ISBN: 978-85-66938-47-0-3
Páginas: 56
Gênero: Poesias
Coleção Poesia em flor nº 3

O livro faz parte de uma coleção de dez poetas a quem foi destinada uma flor para cada um. O livro do Luiz Almeida traz na capa o cravo. A imagem da capa é de Marília Vilella com a supervisão de arte do artista plástico juiz-forano Petrillo.
A impressão foi feita em papel offset 90g e a capa em papel supremo 250g. A edição da coleção está primorosa como todos os trabalhos da Gryphon Edições.

Resenha:
Quando peguei o livro do Luiz Almeida para ler, achei estranho que na Coleção Poesia em Flor, o número 3, destinado ao cravo – O CRAVO PEREGRINO -, trouxesse seis contos e não poemas como pedia o nome da coleção. Eram seis contos! Aqui, tenho que expressar toda a minha surpresa ao acabar de ler cada conto e de não conseguir parar de ler todos, até o fim do livro: eram seis contos, mas são seis poesias.
Uma pausa breve para definir o que é prosa e poema: no primeiro estilo temos um texto que não seja escrito em versos como deve ser o segundo. Mas e a diferença entre poema e poesia? O poema tem necessariamente que ser escrito em verso, mas a poesia pode estar em tudo, em qualquer coisa, pessoa ou lugar. É o caso do livro de Luiz Almeida que nos brinda com seis contos, mas na realidade, encontramos na sua forma exuberante de escrever, seis poesias.
“LUGAR DE MORAR” abre o livro e é um conto surpreendente de um encontro de amigos. A história se passa em um barco-casa e o autor expressa todo o sentimento de amor do personagem que desabrocha naquela noite.
“O RECÉM-NASCIDO” é um poesia de vida, é uma mostra de uma realidade bem estruturada e nos deixa bastante ansiosos: “Logo vamos ficar junto de novo” – Será? Quando será?
“A DANÇA DAS HORAS” – o autor nesse conto-poesia nos mostra o passar das horas, do tempo, da vida. Sensacional!
A metáfora que o autor usou no conto “TARDE DEMAIS” é surpreendente. Através dela ela define o que foi e o que será a vida a partir daquele momento.
“O ÔNIBUS AZUL” é outra poesia onde a vida é comparada a uma viagem de ônibus – no caso azul -, cheia de passageiros que entram e saem. A viagem de cada um acaba no seu ponto final.
Em “MORRER DE AMOR”, o amor é a grande força que tece a trama e a poesia se desenvolve mostrando que nem sempre se consegue aquilo que se quer quando se trata de amar alguém.
Recomendo o livro “O CRAVO PEREGRINO” de Luiz Almeida por ser uma obra de arte da literatura atual. A “COLEÇÃO POESIA EM FLOR” é surpreendente e a cada nova leitura, mais me apaixono pelos dez livros que a compõem.

O AUTOR:

LUIZ ALMEIDA é natural de Rio Preto, residente em Juiz de Fora- MG. Autor do romance “O MAR NO VIDRO” (2015) e do livro de contos “ITINERÁRIO DO ACASO”, ainda inédito. Participou como poeta e contista da Coletânea “JUIZ DE FORA AO LUAR” volumes 1,2 e 3. Excelente crítico literário, também é revisor da Griphon Edições desde 2014. É participante da escola de psicanálise Ato Freudiano de Juiz de Fora.
Contato: almeidagluiz@yahoo.com.br

VENDA DO LIVRO:
– Espaço Excalibur – Rua São Mateus, 265 – Bairro São Mateus – Juiz de Fora – MG
– Diretamente com o autor através de suas páginas no Facebook e Instagram.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

3 comentáriosDeixe um comentário

  • Bela resenha!Artur Laizo desperta no leitor grande interesse pela leitura dos mini- books da Coleção Poesia em Flor aguçando a sua curiosidade sobre o que vai encontrar no volume seguinte. Artur da um presente não só aos leitores mas também aos autores com seus comentários sensíveis que atingem o âmago de cada um dos trabalhos.

  • Quando li o livro do Luiz tive a mesma sensação. Que linda forma de escrever poeticamente ! Amei os seis contos do Luiz e lamentei quando a leitura do livro chegou ao fim. Queria mais, muito mais!
    A sua resenha ficou mais do que excelente ! Ficou sensacional !
    A cada dia vc se revela. Quantos talentos ainda falta para descobrirmos em você ???
    Parabéns , mais uma vez!!!!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *