ODEIO TE AMAR! – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

ODEIO TE AMAR!

amor-odio

Odeio te amar!

Odeio pensar em ti

Todo o meu dia.

Ultrapassar meu dia pensando em ti,

Deixar de viver-me para viver-te,

Deixar de ser eu para ser somente tu,

Procurar em mim resquícios

Do nada que sobrou,

Do nada que sou,

Do… sou?

Odeio amar-te!

Preferia minha solidão sozinho

Que a minha solidão

Acompanhado do teu descaso.

Adoraria não te ter,

Adoraria não ter ninguém

Do que ter-te sem ter-me,

Sem ter-nos,

Sem ter nada!

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

5 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *