Pão de Canela e Prosa – Página: 20 – Onde as palavras têm sabor
Pão de Canela e Prosa

D. CLEUZA – TERCEIRO CAPÍTULO

  III _ O relato é todo esse – disse Gilberto ao seu superior na delegacia. – O rapaz disse que ouviu o grito da filha da velha e entrou no quarto onde ela benzia os outros e viu a cena que o senhor tem em mãos nas fotos. _ Não houve mais nada de anormal que ele possa ter percebido? _ Senhor, ele disse que achou estranho a casa estar...

ODEIO TE AMAR!

Odeio te amar! Odeio pensar em ti Todo o meu dia. Ultrapassar meu dia pensando em ti, Deixar de viver-me para viver-te, Deixar de ser eu para ser somente tu, Procurar em mim resquícios Do nada que sobrou, Do nada que sou, Do… sou? Odeio amar-te! Preferia minha solidão sozinho Que a minha solidão Acompanhado do teu descaso. Adoraria não...

É DIFÍCIL MORRER

  Quando eu escrevi “É DIFÍCIL MORRER” eu quis mostrar a vida de pessoas que na realidade não têm uma vida plena. Tive a ideia dentro da UTI quando recebi um morador de rua politraumatizado e comecei a pensar sobre a vida desses pobres coitados e o que poderia esperar por eles depois de um tratamento que nem sempre seria...

EMPADA

  Sem dúvida alguma, empada é o salgadinho que eu mais gosto. Sempre gostei de comer empada com café. Algumas pessoas acham muito engraçado eu tomar café e comer salgadinho, mas combina bem empada e café, quibe e café, cigarrette e café, enfim tenho que dizer também que eu adro café. Tomo litros de café por dia. Pena que não possa...

VOAR ALTO

  Talvez eu seja O mais ínfimo dos mortais, E tenha a mente Assim em desordem, Por não conseguir concatenar idéias, Por não conseguir superar barreiras, Por me perder em coisas fúteis, Por não me deixar crescer, Por não me deixar evoluir, Por me atar a terra E não me permitir alçar vôos… Talvez não consiga, Nem em outras...

D. CLEUSA (conto em cinco capítulos)

Meus amigos, inicio hoje um conto de assassinato de uma velha benzedeira. Uma mulher a quem todos amavam, mas que foi encontrada morta na sala onde benzia e praticava o bem. Fora degolada! Quem poderia ter feito tamanha atrocidade? Fábio era uma pessoa que sempre ia à casa da velha se benzer, naquele dia ele afirma que saiu correndo do interior...

LEMBRANÇAS DO ORIENTE

Eu escrevi Lembranças do Oriente aos treze anos de idade. nessa época eu já lia durante as vinte e quatro horas do meu dia e escrevia e estudava e ainda fazia muitas outras coisas nas horas que me sobravam. Sempre fui assim mesmo. Escrever uma história com uma temática ao mesmo tempo romântica e fantasiosa, cheia de amor e magia, cheia que...