PASÁRGADA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

PASÁRGADA

Talvez Pasárgada

Não satisfaça mais meu ego,

Talvez a utopia,

Não complete mais meus anseios…

 

Anseio por coisas reais,

palpáveis,

estruturadas,

Edificadas na rocha,

Não preciso mais de castelos no ar…

 

Talvez Pasárgada…

Não necessito mais ir-me embora,

Não quero mais

Ir atrás de quimera alguma…

 

Quero a realidade

Por mais dura e fria,

Quero a alegria de estar vivo,

A tristeza de lutas incertas,

A emoção constante do dia a dia…

 

Não quero a incerteza

De ter que escolher

A mulher que quero

E a cama do rei.

Não quero mais ir embora…

Pasárgada não será completa,

Pasárgada não será perfeita:

– Ficará sem mim!

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

5 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *