PENSAMENTOS – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

PENSAMENTOS

No alto da colina,
Um vulto azul se descortina:
– É o céu que desaparece
Nas sombras de uma noite próxima.
O sol morreu há muito de cima
Dos mais altos morros, escurece…

Eu encontro no mar
Um sonho perdido a voar
Por entre peixes multicores…
A lua reflete-se nas águas,
Meu rosto talvez, transpire mágoas
De dias passados, meus amores…

Tenho sonhos, talvez…
Que me falhe a última vez!
Tenho sonhos, tenho-os tantos
E conservo meus tristes enleios,
Quero tê-los, vejo que não sei-os,
Mas amo: – tantos existem. Quantos?

Sei que a lua que não me olha,
E que a árvore que se desfolha
Passam o seu tempo na sua vida…
E os meus galhos crescem, apodrecem,
Não há mais luz nos olhos, fenecem
Corpo e alma recordando mi’a ferida.

A dor no peito, a loucura
Tudo faz-me tornar impura
A vida que desejei não ter…
Fito-me no balanço do vento,
Sinto-me frio, exposto ao relento,
Querendo, lutando por viver.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *