PERFEIÇÃO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

PERFEIÇÃO

 

Aos dezesseis anos

Eu acreditava

Que poderia mudar o mundo

Que eu tinha toda a razão

Que eu era perfeito!

 

Aos vinte e poucos anos

Eu acreditava

Que poderia mudar as pessoas

Que todas estavam erradas

E eu era perfeito!

 

Aos trinta e poucos anos

Eu acreditava

Que o mundo e eu éramos iguais

Que todos buscávamos algo.

Ninguém era perfeito!

 

Depois que cresci

Eu acreditava

Que o mundo queria me sufocar

Tudo era opressão, claustro, prisão…

E eu imperfeito!

 

Hoje, com pouco mais idade,

O mundo é perfeito

As pessoas são o que são e eu?

Eu sou perfeito

Com todas as minhas imperfeições!

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

1 comentárioDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *