PRESSA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

PRESSA

Atropelamento

Eu não entendo porque as pessoas têm tanta pressa.

Andando no centro da cidade o que mais vemos são pessoas que estão invadindo as pistas de carros para atravessarem antes de fechar o semáforo, são pessoas que estão no asfalto e não nas calçadas tentando parar o mundo para que elas cheguem a algum lugar.

E, infelizmente, vemos muitos idosos que fazem o mesmo: invadem a pista de rolamento de carros para correr, mesmo que não possam ou não aguentem, e atravessarem antes de tudo e de todos pra chegar. Chegar onde? Fazer o que? Por que tanta pressa e tanta correria?

As cidades estão cheias demais de veículos e pedestres. Há uma harmonia para que todos se movimentem e cheguem aos seus destinos. Há uma educação no trânsito para o motorista parar quando há uma faixa de pedestres e não há um semáforo. Mas os pedestres insistem em atravessar na frente dos carros nas faixas de pedestres quando há um sinal vermelho para sua passagem e a preferência é dos veículos.

Enfim, a Tribuna de Minas essa semana publicou uma reportagem dizendo que a cada dois dias um idoso é atropelado nas ruas de Juiz de Fora. Muito sério! Achar o culpado depois que o corpo está no chão, ferido e com possibilidades de morte e o motorista desesperado e com todos pedestres lhe apontando o dedo e chamando-o de assassino, não tem jeito.

A culpa é da pressa. Pressa que todo mundo tem pra chegar a algum lugar, fazer alguma coisa, deixar de fazer outras e se enganar, muitas vezes, que é assim que deveria ser.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

6 comentáriosDeixe um comentário

  • É uma grande realidade. Uma grande falta de senso, e do bom senso então nem temos o que dizer. O mundo passa por um momento de egocentrismo generalizado, onde todos tem direitos, mas não respeitam e não cumprem seus deveres. Muitas leis sem cumprimento e muitas responsabilidades passadas sempre ao próximo. Excelente ponto de vista amigo. Estamos sempre com pressa, e esse estar não tem um porquê definido.

  • Muito verdadeiro e tão real ao passo que lia e podia relembrar minhas idas e vindas como pedestre em Juiz de fora, não que em outras cidades não ocorra o mesmo,…
    Triste nossa realidade, andamos em um mundo tão corrido, elétrico e ao mesmo tempo frio onde nos tornamos um pouco egocêntricos por querer tanto algo sem perceber a realidade ao redor incluindo os petiscos que os permeiam . Gostei muito de seu texto mesmo por que vivenciamos todos os dias essa realidade crua e amarga de falta de atenção no que vivenciamos a cada segundo por querer sempre estar a um passo que a vida. Vivência de pedestre o desrespeito é grande de ambas partes e sim concordo educação é fundamental é o alicerce da convivência mútua por não sermos um e sim uma multidão …

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *