RESENHA – O PRÍNCIPE GATO E A ARMADA DA NOITE – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

RESENHA – O PRÍNCIPE GATO E A ARMADA DA NOITE

E para encerrar a Trilogia O Príncipe Gato, aqui está a resenha do terceiro volume tão bom quanto os demais. A trama é perfeita. Aqui: A Armada da Noite.

BENTO DE LUCA

 

ISBN 13: 9788542803488

Ano: 2014; Páginas: 351

Idioma: Português

Editora: Novo Século

Site oficial: www.oprincipegato.com.br
Compre seu exemplar:
http://www.oprincipegato.com.br
http://www.saraiva.com.br/

https://www.amazon.com.br/

 

 

Resenha:

A guerra em Marshmallow não acabou, não houve vencedores, houve muitas perdas, muitas mortes e raças inteiras dizimadas. Depois de tantos embates, a guerra continuará em São Paulo. O Príncipe Gato enfrentará um novo e poderoso inimigo. No entanto, ele não estará sozinho dessa vez e seus novos e velhos amigos o acompanharão. Os mashmellianos, em São Paulo, estão em um mundo de humanos, sem um humano para ajuda-los a se movimentar e resolver as coisas básicas na maior cidade do país. Não basta o inimigo poderoso e cada vez mais forte, há artefatos milenares que eles devem buscar para conter essa desenfreada ascensão de poder dos Feiticeiros. Nesse livro, novas criaturas e enigmáticas magias envolvem o felino em uma trama muito sinistra. Como será que destruirão o Fauno Negro? Ele é a maior força que eles conhecem no momento e nem mesmo os Falcões-Peregrinos parecem dar conta desse inimigo.

A Armada da Noite marca o fim da trilogia O PRÍNCIPE GATO, revelando  mistérios dos personagens e pondo-os à prova em desafios de tirar o fôlego. O desenrolar da trama na cidade de São Paulo muitas vezes nos faz pensar em ir visitar a capital paulista.

 

 

Avaliação: O livro conta o desfecho da guerra entre Feiticeiros, erepresentando o mal e os Falcões-Peregrinos que tendem a equilibrar o bem e o mal em Marshmallow. O Príncipe Gato e seus amigos, na cidade que nunca dorme, formam a Armada da Noite, denominação que dão ao próprio grupo e passam a agir contra a destruição que o Fauno Negro impõe na cidade. Eles precisam parar o mal e impedir que mais pessoas sejam transformadas em bonecos de pano e mais obras públicas sejam destruídas. A ideia do boneco de pano, como já disse, é sensacional. A magia dos feiticeiros transforma os inimigos em bonecos de pano e aprisionam suas almas. A perfeita correlação entre os Feiticeiros e o Demônio que quer levar para o inferno a alma dos pecadores. Existe ainda o amor incondicional de Stanislaw, o último pônei selvagem e Lian, o fauno jardineiro. Por conta desse amor, o pônei se torna um bravíssimo guerreiro. Existe o amor do Príncipe por Kyra, a felina guerreira, assim como o amor do Gato Negro pela antiga namorada.

O amor e o ódio se cruzam nessa história e isso move nossos heróis na busca pela preservação dos mundos. A magia de Adir Wosky está presente em toda a trama e ajuda o desenrolar da trama.

O livro é muito bem escrito e a história é amarrada desde o primeiro capítulo do primeiro volume ao último do terceiro. Há coisas acontecendo o tempo todo e nos são mostradas paulatinamente. O autor criou uma trama muito bem feita e elaborada para que nada se perdesse nesse caminho.

A leitura é ótima e prende a atenção o tempo todo. A gente busca uma forma de tentar ajudar os amigos a vencer o Fauno Negro, mas isso somente o autor, Adir Worsky e Chasmalin poderiam fazer. Como disse, depois da leitura, quero conhecer alguns lugares de São Paulo que não conheço. Quem sabe eu não encontro um Buraco de Minhoca?

Vale a pena ler e conhecer O PRINCIPE GATO E A ARMADA DA NOITE.

O Autor: Bento de Luca é o pseudônimo de Marcelo Siqueira, naturopata, nascido em São Paulo e de seu primo, Gustavo Costa de Almeida Siqueira, formado em Gestão Ambiental. Eles criaram diversos contos e estórias durante nove anos e, no ano de 2009, resolveram começar um novo projeto, a trilogia O PRÍNCIPE GATO, usando então, o pseudônimo Bento de Luca.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *