SEM NINGUÉM – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

SEM NINGUÉM

Simplesmente se vê que se está sozinho!

Não há mais ninguém com quem se possa falar,

Não há mais nada que nos faça entender,

Não há mais…

 

Falta-me a tua companhia,

Falta-me teu calor,

Falta-me teu corpo

Que quando colado ao meu

Podíamos sonhar

E fazer mil loucuras…

 

Hoje eu estou só e nem mesmo o vinho,

Nem mesmo a noite

– que amo tanto – …

Nem mesmo no vento

Posso sentir teu perfume…

 

O tempo se me passa velozmente,

O dia não tarda a chegar…

Trar-me-á o sol,

Trar-me-á a vida a ser vivida,

Mas não compensará

A noite perdida

Sem ti,

Sem ninguém…

 

Coisas da Noite, poesias, 1997.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *