SONETO A UMA NOITE DE INSÔNIA E SOLIDÃO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

SONETO A UMA NOITE DE INSÔNIA E SOLIDÃO

 

Um silêncio vazio e sem paz,

Uma mesa repleta de livros,

Um copo pelo meio, uma toalha,

Um vento fresco a penetrar…

 

Uma esperança rósea e profunda,

Um sonho vago se desmoronando,

Um canto ecoando bem distante,

Uma lua morna me olhando…

 

Eu parado comendo o silêncio,

Eu parado sentindo falta,

Sentindo falta, sentindo falta!

 

O vento uiva e sorri maldoso,

A lua olha e sínica se esconde

E eu ali ouvindo o silêncio avassalador.

 

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

2 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *