SOZINHO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

SOZINHO

Inatingível

Inacessível

Impossível

Totalmente fora de qualquer possibilidade

De amar, de ser atingido no peito…

 

Corpo fechado

Coração gelado

Alma errante

Sou pura emoção e sentimentos

E amo, e quero e preciso…

 

Meu ser volátil

Desesperado

Para amar outra vez

Não vê a hora em que o sol vai aparecer

E eu vou voltar p’ra meu sepulcro escuro…

 

Sozinho!

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *