UNIVERSO COLORIDO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

UNIVERSO COLORIDO

Eu estava de frente para a luz
E eu corria
A luz cegava meus olhos
Mas eu corria
Era impossível ver o caminho
Só eu corria
Em frente ao desconhecido
Eu corria
E sabia que deveria seguir
Deveria entrar naquela luz
Que poderia me consumir
Que poderia me abafar
Corromper os meus sentidos
Destruir a minha alma
Ou será que depois da luz
Eu a encontraria?
Eu corria
Meus pés sangravam
E eu corria
Minha boca estava seca
Eu não conseguia emitir som
Eu quase não conseguia respirar
Mas sabia que precisava correr
Em busca do meu tesouro
Que estava no final do caminho
Que poderia ser o meu final
Mas eu corria
Desesperadamente
Desvairadamente
Procurando o caminho
Procurando a fonte de luz
Procurando por mim mesmo
Naquele universo de cores e luzes
Onde vivo
E corro todo tempo.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *