VAMPIRO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

VAMPIRO

Eu não quero mais bocas devassas,

Não quero mais corpos desconhecidos,

Não quero mais calor estranho,

Não quero mais sair às ruas, à noite,

À caça, procurando mais uma vítima…

 

Não quero mais, andar por aí

Sem querer aceitar,

Aceitando o que não quero…

Talvez a fome, a necessidade de me alimentar…

Talvez a necessidade de energia…

 

Hoje estou só! Quero-o assim!

Prefiro até ao contato mavioso de outros corpos,

Essa solidão gelada…

Por que estar só?

Preciso. Quero. Mas não desejo…

 

Foto: http://sintoniza.com.br/2015/12/lista-reune-os-melhores-filmes-de-vampiros/

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *