Pão de Canela e Prosa – Onde as palavras têm sabor
Pão de Canela e Prosa

NO ÔNIBUS DE MADRUGADA

*NO ÔNIBUS DE MADRUGADA* Artur Laizo O Bururururururururu Do motor do ônibus É constante! Lá fora Neblina Fumaça Escuridão Cortada pelos faróis brilhantes Para os olhares atentos do motorista Dentro do veículo Há pessoas que dormem Em paz Algumas com medicamentos Algumas não dormem em paz Algumas não dormem! Entre os que não...

DEPREDAÇÃO DE MUNUMENTOS

Quebraram os braços da Henriqueta Lisboa. Roubaram a pipa do Menino com a pipa. Roubaram os óculos do Carlos Drummond de Andrade. Pixam vários momentos pelo país. Roubaram as mãos do Giovani Gávio na Praça do Bom Pastor. Roubaram as letras do monumento na Garganta do Dilermando. Eu não entendo! Não consigo entender a “grandeza...

ASSASSINATO NO CONGRESSO MÉDICO

Capítulo 1 A cidade estava preparada para um grande congresso de Medicina Intensiva. Esperava-se em torno de cinco mil participantes entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas que trabalhavam com CTI. Era um congresso esperado por todos que se realizava de dois em dois anos sempre em uma capital brasileira. Os hotéis estavam...

MORADOR DE RUA

Ele morava ali Seu coração muito além Ele queria fugir Era difícil mudar Ele não se amava E estava ali Parado Quieto Sem fazer nada Sem poder nada Sem imaginar nada Nada Nada Nada. E agora? Ele estava ali Há muitos anos, Ali Perdeu muitos sonhos Ali Deixou de ser gente Ali Deixou todos os seus desejos… Ali! Ele morava ali! Mas nunca...

AMOR

Quando acontece o amor, os dois apaixonados Não veem nada mais que flores e canções, Não se deixam sofrer, só ficam isolados, Querem sempre, decerto, trocar emoções. Quando acontece o amor, dois seres abobados Não falam de outras coisas, e em seus corações, Tocam sinos, repicam tambores toados. Apaixonados vivem em outros rincões! E...

INSTANTE FINAL

Ele sentou-se ao seu lado, Pegou-lhe a mão enrugada, Beijou-lhe o dorso gelado Pela lágrima escapada. Jazia no leito usado A mulher por ele amada, Ele estava apavorado, Ela estava serenada. Filhos vivendo distante Não viam aquele instante, Queriam voltar depressa… E o velho, triste e sem chão, Ouviu em seu coração: Vamos lá que a hora...

SINTO SUA FALTA

Hoje senti sua falta. Doeu no peito e lágrimas foram incontroláveis. Difícil querer deitar minha cabeça No seu colo sempre frágil E sentir toda a sua força. Hoje senti muito a sua falta. Queria um abraço, Um beijo de boa noite, Um bom dia feliz, Um bom mexido como só você… Muito tempo sem você E muita história para...

A DÚVIDA DO SOLDADO

O soldado em campo aberto Sofre de medo e paixao. Sabe que a morte está perto, Sente frio e solidão. Sua família, decerto, Está longe, n’outro chão. Ele luta em um deserto, Muita dor no coração. Não sabe o bravo soldado Se pra casa voltará, Pois vê sempre a morte ao lado. A vitória alcançará? Ainda será amado? Quanto tempo...

CAFE

Como é bom tomar café, Café com pão, fumegante, Café preto, muito leite, Café, queijo e muito pão. Como é bom café, café. Como é bom café com pão. E o pão quente com manteiga, Dispensa qualquer entulho. Café, preferência puro, Não tem hora pra tomar. Eu prefiro café quente, Sem açúcar, sem veneno. Há quem tome bem gelado Mas...