ACABOU O CARNAVAL – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

ACABOU O CARNAVAL

Acabou o carnaval.
Esse ano, eu nem vi
Nem ouvi,
Nem senti,
Aquele som que me arrepia:
Tamborim marcando o ponto
E a batucada invadindo tudo.
Eu arrepio o corpo todo.
Sinto a alma satisfeita
E o coração,
Aos galopes,
Entra no ritmo e o corpo acompanha…

Há muito tempo não sinto
Esse frenesi intenso
Da bateria de uma escola,
Da batucada de um bloco.
Na lembrança distante
Há o “Pão Moiado”
Que nas ruas de Lafaiete
Trazia alegria ao povo.
Nos clubes,
Conjuntos de samba
Tocavam marchinhas
Para o povo se esbaldar.
Quanta “máscara negra”,
Quanto “Pierro apaixonado”,
Quanto Arlequim sacana
Se divertindo
Com amores passageiros…
Eu adoro Carnaval,
Eu adoro a festa toda,
Eu adoro o frenesi da bateria,
Eu adoro a fantasia,
Adoro a festa pagã
Que ainda é uma força
Nesse país tão festeiro.

Acabou o Carnaval
Desse ano.
Foi diferente, mais animado,
Libertário depois da pandemia.
Acabou o Carnaval
Que eu vi um pouquinho
Na televisão.
Ano que vem tem mais.
Vou cair no samba?
Desfilar em uma escola?
Fazer uma linda fantasia?
Não sei!
A vontade é grande,
Quem sabe?

               

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *