BRINCANDO COM LITERATURA – ESTILOS – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

BRINCANDO COM LITERATURA – ESTILOS

TROVA

Calor, triste noite, seca,
O ar sufoca, respirar,
Suor, febre que resseca,
Tudo está a suspirar.

ACETETO

CALOR
Artur Laizo

Calor, triste noite, seca,
O ar sufoca, respirar,
Suor, febre que resseca,
Tudo está a suspirar.

Alterado o clima mata
Devagar sofre a desmata,
Morte e dor ao transpirar.

REDONDE

*CALOR*
Artur Laizo

Calor, triste noite, seca,
O ar sufoca, respirar,
Suor, febre que resseca,
Tudo está a suspirar.
Alterado o clima mata
Devagar sofre a desmata,
Esse crime não se breca,
Morte e dor ao transpirar.
Calor, triste noite, seca,
O ar sufoca, respirar.

SONETILHO

*CALOR*
Artur Laizo

Calor, triste noite, seca,
O ar sufoca, respirar,
Suor, febre que resseca,
Tudo está a suspirar.

Esse crime não se breca,
Morte e dor ao transpirar.
Calor, triste noite, seca,
Impossível respirar.

Alterado o clima mata
Devagar sofre a desmata,
Nosso povo sofre a dor.

Nessa vida sem limite
Resta ao homem um convite
Preservar com mais amor.

               

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *