DIÁRIO DO CONFINAMENTO – 11 – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

DIÁRIO DO CONFINAMENTO – 11

Diário do confinamento – 11

13 de abril de 2020 – 27 dias

Mortes no mundo: contaminados: 1.846.680, tratados: 421.497, óbitos: 114.090.
Mortes no Brasil: Contaminados: 22.169, mortes: 1.223.

Eu tive que ir ao Carrefour no sábado para comprar o necessário e vinho, claro. Estava lotado como em um sábado qualquer de frio e chuva. Muita gente sem máscara e alguns de luvas. Interessante é que, quem estava de máscara levava as mãos, de luvas ou não, à face, aos olhos, nariz e aos cabelos. Uma beleza! Muita gente passeando e chamando o vírus de “meu bem”!
Agora, gente, o mais legal é o povo de luva: Luvas de procedimentos, Luvas de motoqueiros, luvas de ANAMARIABRAGANACOZINHA. E passa a mão de luva em um monte de lugar e passa na cara, nos olhos, enfia o dedo no nariz, tiram a máscara – pra conversar de pertinho -, colocam a máscara com os dedos sujos.
Enfim, estamos confinados e muita gente andando de bobeira nas ruas. A gente sai e vê inclusive idosos perambulando na rua. E não é sempre que saem para buscar coisas essenciais. Do mesmo jeito que há essas pessoas que se arriscam, há aquelas que, trancadas em casa, estão com medo da sombra. Eu fico com muito receio do que possa acontecer! Do que possa acontecer comigo e com os outros seres humanos, meus queridos ou não conhecidos.
Há ainda, um grande número de pessoas que vão contrair a doença antes de existir a cura. Infelizmente. O governador de Minas deu uma entrevista dizendo que o ideal é que as pessoas contraiam a doença para mais rápido se imunizarem contra o virus e ficarem boas. Mas e os óbitos? O número crescente de óbitos em todo mundo é imenso.
Uma comparação na televisão mostrou que o número de mortos no país é superior ao número de pessoas que morreriam da queda de três boings lotados. De sábado para domingo, no Brasil, tivemos um aumento de 9% em óbitos e um aumento na incidência de 7% e isso tende a ser pior.
Não sei qual será o caminho da humanidade. O mundo está se revoltando? Há uma nova erupção do Vulcão Krakatoa aterrorizado a população local. Houve um terremoto na Califórnia de 5,2 na Escala Richter. Um incêndio em Chernobil aumentando a radiação local. No Brasil, chuvas e enchentes, frio e gelo…
Estaria o planeta se revoltando contra a humanidade? O que precisamos fazer? Pedir desculpas ao mundo? Talvez voltar à estaca zero de desenvolvimento? Impossível!
O homem, com toda a sua soberba, se acha o ser supremo do planeta e jamais deixará de “crescer” na indústria, tecnologia e nas suas loucuras. Hoje, dependemos de todo esse “Bem-mal” louco e necessário.
Onde vamos parar?
Só Deus para nos dar essa direção. Que tenhamos cada dia mais fé e mais humanidade.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

2 comentáriosDeixe um comentário

  • Uma analise isenta de ideologia e politiva. Uma visão sensata e da qual concordo inteiramente.A grande questão é que esse comportamento itrespondável e repleto de ignorância e me regiro a ignorância no sentido do desconhecimento , eleva a gravidade do caso e potencializs os risvos a terceiris e colabora com o estender do tempo que teremos que permanecer aferados por esse momento e com os menos favirecidos passando por grandes dificuldafes sem condicies do pao de cada dia a suas damilias fira os riscos de contrair o virus e se ver diante de um sistema de saude que caminha a oassos latgis para o colapso.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *