DIÁRIO DO CONFINAMENTO – 19 – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

DIÁRIO DO CONFINAMENTO – 19

DIÁRIO DO CONFINAMENTO – 19
Dia 06 de maio de 2020
D 50

Mundo:
Confirmados: 3.663.911; Casos recuperados: 1.199.389; Mortes: 257.301
Brasil:
Confirmados: 116.299; Casos recuperados: 48.221; Mortes: 7.966
Minas Gerais:
Confirmados: 2.452; Mortes: 94
Juiz de Fora
Confirmados: 239; mortes: 13

A pandemia continua. Juiz de Fora apresenta maior número de infectados e mortes. Nosso sistema de saúde está com os CTIs lotados e as internações para o Covid-19 também começando a se completar. Tivemos e temos muitos profissionais da saúde contaminados, internados, em tratamento domiciliar a até mortes entre nós. Estamos começando a ver a situação se agravar a cada dia. Ainda não estamos, graças a Deus, embrulhando nossos mortos em sacos de lixo e deixando nas calçadas para os garis darem um destino.
Disseram nas redes sociais que vamos, em maio ter os piores trinta dias que a humanidade atual tenha vivido. Corremos esse risco. O confinamento continua se estendendo em diversas cidades e estados, mas, como estamos no Brasil, todo mundo tenta burlar essa ordem e abre-se um comércio aqui, outro do lado. Há ainda, entre os brasileiros, quem não acredita na peste.
Rieux custou para conseguir decretar estado de calamidade na cidade de Oran e ele pisava em ratos mortos que se debatiam e sangravam antes de morrer e contaminar a população . Albert Camus conseguiu descrever na ficção o que aconteceu na realidade na Europa com a Peste Negra em meados de 1920. Nós não conseguimos ver o vírus. Muito menos pisar nele. O inimigo que nos espreita é invisível aos nossos olhos.
O ministro da saúde foi a Manaus levando uma quantidade boa de aparelhos, medicamento e verba para aquele povo tão sofrido e dizimado pela pandemia. Voltou de lá assustado e com ideias contrárias às do presidente que não sabe o que diz ou faz. Estamos à mercê desses políticos. O chefe cada dia faz um ato impensado e muitas vezes tem que voltar atrás. Demite, contrata, exonera, contrata de novo, enfim, “la nave va”.
Graças a Deus, também, temos a internet e podemos discutir coisas em grupos afins. Vários grupos de amigos e várias ações individuais, como as “lives”, levam alegria e informação para tanta gente. Grande problema nesses grupos é ter pessoas que se acham donas da verdade e, como só ele está certo, tenta conclamar os outros membros para pensarem como ele mesmo. Acho que cada grupo de amigos no Facebook, Whatsapp, enfim, em qualquer rede social deve se prestar àquilo que foi o objetivo de sua criação. Um grupo de música deve discutir música, um de medicina, doenças e correlatos, um grupo de políticos, política, mas não se devem misturar estações. É o mesmo que baixar o nível e usar palavras de baixo calão em um grupo religioso. Uma coisa bastante interessante: há grupos onde as pessoas usam um vocabulário e linguajar completamente diferente daquele usual, mais erudito ou mais vulgar, simplesmente porque está naquele grupo. Não importa tanto! Importa que a Internet tem nos salvado da solidão e ao mesmo tempo, dado a todos a chance de se manter atualizados e informados. Eu prefiro, quando tenho em algum grupo, alguém inflamado, com o ego nas alturas, querendo demonstrar que o mundo é do jeito que ele fala e não como realmente é, ignorar a fala ou até mesmo sair do grupo.
Enfim, a quarta-feira começa sendo meu quinquagésimo dia de quarentena. Saio às ruas? Sim! Acabei de chegar do plantão no CTI cirúrgico da Santa Casa. Vou às compras, bancos, para coisas que não posso fazer dentro de casa pela Internet. Está bom? Claro que não! Como disse outras vezes, quero sair livre para trabalhar, ver gente, abraçar pessoas, conviver ao vivo e não virtualmente. Na realidade, estou achando uma loucura ir ao centro da cidade. Está cheio de gente indo e vindo não sei pra nem de onde. Alguns de máscaras – a maioria hoje -, mas muitos sem. Muita gente passeando, muita gente ainda seguindo ideias estapafúrdias de quem acha que a pandemia é só uma gripezinha.
O mês de maio está começando. Tomara que esses dias não sejam como andam dizendo por aí: os mais negros. A lua ontem estava linda, hoje estará mais esplendorosa ainda. Fotografem-na de casa. Deixem que toda a sua energia boa, energia de amor, energia sexual atinja você e os seus e vivam todos em amor e harmonia… dentro de casa.
FIQUEM EM CASA!
Que Deus nos dê a todos essa percepção de bem e mal para conseguirmos sair dessa luta melhores.

FOTO: Av. Barão do Rio Branco, dia 06 de maio de 2020 às 9:25.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

4 comentáriosDeixe um comentário

  • Além de nos deixar por dentro das tristes e reais estatísticas, você é capaz de transformar este momento em algo que todos precisam: reflexão. Que sejamos coerentes, vigilantes e atentos aos fatos . Seguimos com Deus! Cuide -se!

  • Parabéns Artur, vc foi tão claro, sensível, objetivo e ainda existem pessoas que não conseguem entender, é inacreditável.
    Continue nos passando seu conhecimento que nos é muito precioso, principalmente neste momento até pouco tempo inimaginável.
    Que Deus nos proteja!

Deixe uma resposta para Artur Laizo Escritor Cancelar resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *