NÃO VOU RECLAMAR! – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

NÃO VOU RECLAMAR!

Hoje, não vou reclamar!
Nem do sol,
Nem do frio,
Nem da chuva,
Nem do calor
Hoje não vou reclamar!
Não vou reclamar
Do trânsito,
Do engarrafamento,
Da falta de estacionamento,
Do excesso de veiculos em ruas que não comportam tanta loucura.
Hoje, não vou reclamar
Do rapaz que pede esmolas no sinal,
Que não tem condições de arrumar emprego, porque não há empregos.
Hoje, não vou reclamar
Que a política só complica
E nada se explica
E o povo continua mal.
Hoje, não vou reclamar da fome,
Não vou falar que na cidade cinquenta mil pessoas ou mais não comem.
Hoje, não vou reclamar
Que a vida sobrevive,
Que a maioria não vive,
Que muitos não têm casa,
Que muitos andam nus,
Que muitos não têm forças para sair dos caixões,
Que muitos não têm caixões,
Ou tumulos,
Ou crenças,
Ou nada.
Hoje, não vou reclamar
Que o mundo está uma loucura,
Que as pessoas estão muito loucas,
Que o clima está muito louco,
Que louco talvez eu esteja.
Hoje, não vou reclamar
Que faltam escolas,
Faltam creches,
Faltam professores,
Educadores,
Mestres,
Profissionais que sabem ensinar,
Que sabem mostrar o caminho,
Hoje não vou reclamar!
Não vou reclamar do transporte público,
Das condições dos veículos,
Das filas em todos os lugares.
Hoje, não vou reclamar
Dos atrasos
Dos adiantos
Das cobranças
E das dívidas não pagas porque não se tem como pagar,
Não dá para pagar,
Suicídios financeiros.
Hoje, não vou reclamar
Das pessoas que não me querem bem,
Das que me querem bem,
Das que me odeiam
Das que me amam.
Não vou reclamar do sexo,
Do amor,
Do beijo bem dado,
Ou daquele só sonhado.
Hoje, não vou reclamar
Do que sou,
Do que eu queria ser,
Do que eu deixei de querer ser e tem hora que incomoda.
Hoje, não vou reclamar
Mas vai ser difícil ficar calado!

               

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

11 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *