PALESTRA NA ESCOLA EM MARIANA – MG – 11ª SEMANA DE ARTE ALDRAVISTA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

PALESTRA NA ESCOLA EM MARIANA – MG – 11ª SEMANA DE ARTE ALDRAVISTA

Na sexta-feira, dia 21 de outubro, eu me senti muito importante como escritor. Fui fazer uma palestra na Escola Municipal Cônego Paulo Diláscio em Mariana – MG – como parte da 11ª SEMANA DE ARTE ALDRAVISTA.

Eu fui recebido com muito calor humano. Logo na entrada, havia cartazes feitos pelos alunos desejando que eu fosse bem-vindo. Entrei no grande salão/teatro da escola e não poderia imaginar que fosse ter tanta gente para me ouvir.


Preparei uma palestra com quarenta slides no Power Point falando da literatura de terror desde a antiguidade nas rodas de conversa à beira das fogueiras e a necessidade do ser humano em se impor, causando medo e a necessidade também de quem lê, vê ou ouve uma história desse tipo de se sentir amedrontado.
As crianças e adolescentes foram chegando, alguns professores, os anfitriões da escola e do evento, enfim, o local estava cheio de gente para me ouvir falar de terror.
A interação com a plateia foi muito boa. Alguns alunos da escola disseram que gostavam de terror, citaram alguns livros e filmes, outros disseram que não gostavam e tinham medo. Muitos queriam saber como era meu método de escrita. Isso é um grande problema já que não tenho método nenhum. Escrevo quando estou com vontade. Houve quem quisesse saber sobre inspiração para escrever alguma coisa e até mesmo quem quisesse saber quando comecei a escrever ou como eu criava os personagens. Isso é muito bom para os alunos que também se interessam em escrever e não sabem por onde começar. “Importante é escrever e mostrar para o colega – disse-lhes eu. – É fundamental aceitar elogios e críticas do mesmo jeito”.
Eu me senti como o escritor que foi visitar a cidade onde morava Clarissa adolescente – personagem do livro Música ao longe de Érico Veríssimo -, causando uma grande expectativa antes de sua visita. Acredito que ao contrário daquele escritor que decepcionou tanto a protagonista do livro, eu pude interagir com aqueles meninos ávidos para ter alguma informação do escritor que estava a sua frente.
Foi muito bom e acredito que isso possa incentivar a leitura e, em alguns alunos, a vontade de escrever.
Espero muito ter contribuído bastante com o interesse dessa meninada que me recebeu tão bem – ofereceram-me inclusive presentes desenhados por eles mesmos – nos estudos e em sua vida futura.
Parabéns à Diretora Natália Martins Barros, a Andreia Donadon, membros da Academia Marianense de Letras, professores da escola e equipe que realizaram esse evento tão bom.
Eu adorei falar do meu assunto favorito para a plateia que também tem o terror como grande interesse.

Recebi presentes dos alunos:

Espero muito voltar a ter contato com esses alunos que representam o futuro. Eles estão sendo guiados e orientados por pessoas iluminadas. Parabéns a todos.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *