TRAGÉDIA DE PETRÓPOLIS – ATÉ QUANDO? – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

TRAGÉDIA DE PETRÓPOLIS – ATÉ QUANDO?

A tragédia de Petrópolis, cidade do Rio de Janeiro, é devastadora.
De repente, as pessoas são apartadas de suas casas, de suas famílias, de amigos e entes queridos. De repente, quem tem muito pouco perde tudo que tem. De repente, a vida perde o sentido.
O que está acontecendo no mundo? O que está acontecendo com o país? Estamos vivendo tragédias em vários estados brasileiros devido a mudanças climáticas. Há mortes e muitas perdas evitáveis.
O mundo está se revoltando contra às nossas próprias ações? Desmatamento intenso causando aquecimento global e mudança climática. Há algum tempo, já dizíamos que nossas estações estavam se confundindo e tanto fazia frio no verão quanto calor no inverno. Não está existindo mais estação climática definida. E ocorrem tsunamis, vulcões, furacões, terremotos, maremotos em todo mundo.
Primeiro, tivemos a tragédia na Bahia, São Paulo veio depois e agora Petrópolis. Vendo o jornal, agora, mais de 100 mortos e tantos desabrigados. Famílias inteiras perdidas e quem sobrevive, leva consigo essa dor pelo resto da vida. Hoje, tudo pode ser visto, tudo pode ser filmado e assistimos a essas tragédias e pessoas morrendo frente aos nossos olhos sem que possamos fazer nada. Nova chuva acometendo a cidade, a serra… Árvores caídas até na BR 0-40 fechando o trânsito.
A chuva caiu e como foi muita, o morro caiu, casas caíram, ônibus ficaram presos na água, no rio, vidas se perderam. A esperança de reconstrução ainda não está sendo cogitada já que ainda não se sabe ao certo o que se perdeu, quem se perdeu.
O que poderia ter sido feito para evitar essa e outras tragédias semelhantes? Nossa política está falhando em coisas básicas. Onde está o apoio que o brasileiro precisa? Será que essas obras que deveriam ter sido feitas e não foram – como o túnel de escoamento do rio de Petrópolis – podem ser a causa da tragédia? E quem seria o culpado dessa avalanche de água e barro? O pobre coitado, que construiu com o pouco que tem, em um morro porque não tem como construir em áreas mais caras? Infra-estrutura? Poder aquisitivo? Vidas!
Quem sobreviver, como será viver com essa dor para sempre? Será que dessa tragédia, não haverá sequelas? Doenças? Doenças físicas ou psicológicas? “O que será do amanhã?”1
No momento, o importante é ajudar Petrópolis. Ajudar enviando o que se pode enviar. Enviando orações se o que se pode fazer é rezar. Enviando apoio e um ombro amigo.
A vida humana está em risco. O ser humano está sofrendo em demasia. O que está precisando ser feito? Outras tragédias virão? Até quando?

Foto: https://jcconcursos.com.br/noticia/brasil/tragedia-de-petropolis-caixa-libera-saque-fgts-para-moradores-da-regiao-91906

1- O amanhã – Samba enredo G.R.E.S. União da Ilha do Governador
Compositor: João Sérgio

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

2 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *