21 DE ABRL – FERIADO NACIONAL – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

21 DE ABRL – FERIADO NACIONAL

Ontem foi feriado nacional e eu fiquei quieto em casa. Foi feriado em comemoração a Tiradentes. Muita gente, hoje em dia, não sabe mais quem foi esse inconfidente ou mesmo o que foi a Inconfidência Mineira.
Uma vez, uma pessoa do trabalho me perguntou se era feriado porque o Tancredo Neves – politico e presidente do Brasil – havia morrido nesse dia. Eu respondi que era, mas principalmente era porque minha avó paterna morreu também nesse dia.
O conhecimento geral e a cultura andam muito deficitárias na atualidade. Ninguém tem uma cultura geral razoável. Eu, quando era pré-adolescente, tinha um medo muito grande de não ter uma grande e bem variada cultura geral. Acho que consegui chegar no meu atual estado de vida com um vastíssimo conhecimento do mundo e da vida. Talvez, a mudança na metodologia das escolas tenha proporcionado essa falta de curiosidade das pessoas em saber mais. A gente vê em alguns programas de perguntas e respostas na televisão que o desconhecimento de coisas óbvias é geral.
Ninguém mais faz contas – existe calculadora para isso, não é mesmo?
Outro dia em entrei em um comércio e o que comprei ficou em seis reais e oitenta centavos. Eu paguei com sete reais. A mocinha do caixa fez conta na calculadora e me deu de troco vinte e cinco centavos.
Mas voltando ao Feriado.

“Joaquim José da Silva Xavier – o Tiradentes – (Fazenda do Pombal, batizado em 12 de novembro de 1746 — Rio de Janeiro, 21 de abril de 1792), foi um dentista, tropeiro, minerador, comerciante, militar e ativista político nascido no então Estado do Brasil, ainda uma colônia portuguesa, que atuou nas capitanias de Minas Gerais e Rio de Janeiro. (https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Tiradentes)

Ele e outros ativistas da epoca criaram o Movimento intitulado “Inconfidência Mineira”.

“Inconfidência Mineira, também referida como Conjuração Mineira, foi uma conspiração de natureza separatista que ocorreu na então capitania de Minas Gerais, Estado do Brasil, entre outros motivos, contra a execução da derrama e o domínio português, sendo reprimida pela Coroa portuguesa em 1789.”
(https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Inconfid%C3%AAncia_Mineira)

Tiradentes é um personagem da nossa história de quem eu sou um grande fã. Era uma pessoa de conduta ilibada e sua luta foi para todo o povo brasileiro. Ele, infelizmente, foi quem recebeu maior punição. Todos os membros foram punidos com degredo e confisco de bens, mas somente o “Mártir da Inconfidência” foi morto em praça pública e depois esquartejado. Os pedaços do seu corpo foram distribuídos pelo país como uma forma de coação do governo português contra o povo.
Em Ouro Preto ficou exposta na praça – hoje, Praça Tiradentes – a sua cabeça. Fato interessante foi que uma mulher que ninguém sabe quem é, roubou a cabeça e a enterrou. Nunca mais foi encontrada.
O país passou por muitas coisas depois da Inconfidência Mineira. Abolição da Escravatura, Independência de Portugal, proclamação da República entre outros fatos importantes seguiram-se até nossos dias. Não vou entrar detalhes para não aumentar muito essa crônica.
Tiradentes jamais foi esquecido. É sempre lembrado como o Mártir da Inconfidência. Ele foi a principal figura do movimento que no Século 18 mudou a história desse país.
Devemos ser todos patriotas como ele foi. Devemos lutar pelo nosso país e não pelos políticos e partidos. Devemos amar a nossa Patria como nos convida Olavo Bilac:

A PÁTRIA
Olavo Bilac

Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!
Criança! não verás nenhum país como este!
Olha que céu! que mar! que rios! que floresta!
A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,
É um seio de mãe a transbordar carinhos.
Vê que vida há no chão! vê que vida há nos ninhos,
Que se balançam no ar, entre os ramos inquietos!
Vê que luz, que calor, que multidão de insetos!
Vê que grande extensão de matas, onde impera
Fecunda e luminosa, a eterna primavera!

Boa terra! jamais negou a quem trabalha
O pão que mata a fome, o teto que agasalha…

Quem com o seu suor a fecunda e umedece,
Vê pago o seu esforço, e é feliz, e enriquece!

Criança! não verás país nenhum como este:
Imita na grandeza a terra em que nasceste!

Por iss tudo, 21 de abril é feriado. Não é porque morreu o estadista Tancredo Neves e nem mesmo porque morreu a minha avó.
Espero que todos tenham gozado do feriado nem que tenha sido somente uma parada e um descanso nessa vida tumultuada que vivemos.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

1 comentárioDeixe um comentário

  • Excelente crônica, Artur!
    Realmente, impressiona a falta de cultura geral e o desinteresse em adquiri-la! Meu avô materno era um homem da roça, com pouco estudo formal, mas de uma cultura geral invejável, fruto de seu amor pelos livros, de sua curiosidade, da sua vontade de se atualizar sempre!
    Gosto muito de Tiradentes e do que representa em termos de liberdade e fraternidade!
    Parabéns!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *