A MOÇA E A ROSA AMARELA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

A MOÇA E A ROSA AMARELA

Uma rosa tão singela
Enfeita todo o jardim.
Uma moça na janela,
Ao me ver, sorri pra mim.

Essa flor tão amarela
Ilumina tudo assim.
O olhar da moça bela
Me transforma em querubim.

A moça e a rosa são lindas,
Dão-me paz, amor e luz,
São esperanças infindas

São momentos de alegria
Que ao vê-las, nem supus,
Como alegram o meu dia.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

2 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *