AMIGO OCULTO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

AMIGO OCULTO

É Natal! Tempo de harmonia e troca de presentes…
Eu li uma reportagem a respeito do “AMIGO OCULTO” realizado pelo Fantástico – programa da Rede Globo de Televisão onde se comparavam os presentes e se falava de algumas pessoas decepcionadas com o presente recebido. Lembrei-me então dos “amigos ocultos” que fazíamos na adolescência, depois na faculdade e eram todos divertidos. Primeiro era amigo oculto porque ninguém tinha dinheiro pra nada, muito menos para comprar um bom presente. O “bel regalo” era para pessoas íntimas e só de vez em quando. Mas, para que não acontecesse como no caso do “esperto” que vai pro churrasco colaborativo levando cerveja barata e só tomando a cara, o preço dos “amigos ocultos” era pré-fixado. Participei de alguns nos quais o valor do presente tinha que ser entre “dez e vinte real”. Houve um que o prêmio tinha que ser sandália Havaianas. Todo mundo deu e recebeu sandália Havaianas.
O “Amigo oculto” é uma forma de confraternização alegre que une as pessoas de uma empresa, de uma família ou mesmo entre amigos. E é interessante a pessoa que vai presentear ter que falar alguma coisa – de preferência boa – do presenteado. O pior é quando as pessoas não se conhecem, tem que achar alguém para dar alguma dica. Ainda existe aquele chato que quer descobrir quem o tirou no sorteio e, pior, quer descobrir quem vai presentear quem e quer falar antes para se mostrar ou sei lá, acho que só pra ser chato mesmo.
Enfim, o amigo oculto é uma brincadeira muito divertida e saudável. Quem participa tem que se aceitar o que poderá acontecer, por exemplo, dar uma joia e receber um chinelo.
Em outras situações, criou-se também o “inimigo oculto” e você irá receber, se participar, um presente de gozação ou até mesmo uma coisa bastante desagradável. Eu já recebi, por exemplo, uma caixa com aranhas de plástico – detesto aranhas com toda força do meu ser – e já recebi uma caixa cheia de cabelos cortados – sou careca desde os trinta anos…
Enfim, o que vale é a alegria a descontração e a amizade. Vale a pena fazer um amigo oculto e morrer de rir com o presente recebido. Vale tudo, principalmente quando é Natal.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

4 comentáriosDeixe um comentário

  • Amigo oculto é amizade, alegria e descontração. O que menos importa é o presente! Artur Laizo coloca isto mto bem , no seu estilo natural e compreensível a todos os leitores.

  • Entregar um mimo escolhido é ato de amor! O amigo oculto instaura o reinado da amizade às claras…. Que todos possam brindar a alegria em família, em seus grupos, trocar presentes para se divertir e descontrair nesses tempos atuais difíceis pela pandemia.
    Um feliz Natal!!!!!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *