CAFÉ – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

CAFÉ

*CAFÉ*
Artur Laizo

Eu já tomei vários cafés hoje.
Acordar não é o problema.
Como também,
Dormir não é a solução.
O dia está nublado,
Faz frio,
Faz calor,
Talvez chova,
Talvez não aconteça nada!
Outro café
Sem açúcar,
Sem nada,
Somente o gosto forte
Da melhor bebida
Pode dar ânimo
Nesse dia frio,
Cinzento
Onde a saudade de tempos de paz
É maior que a ânsia
Que a busca
Que a inquietação
Do dia branco
Cheirando a café,
Cheirando a desordem e confusão.
Há algo no ar
Que incomoda,
Não é o cheiro bom do café.
Há algo que não sei o que é,
Que pode ser
Devastador,
Desanimador,
Terrível
Como não ter café!

               

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *