LONGEVIDADE RESTRITA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

LONGEVIDADE RESTRITA

Não pode comer isso!
Não pode comer aquilo!
Meu Deus! Que coisa!
A vida atual está muito chata!

Eu não quero viver duzentos anos! Não quero chegar a uma longevidade restrita e cheia de regras absurdas. Não quero chegar a ter duzentos anos e não enxergar direito, não raciocinar com clareza, não me locomover com agilidade, não viver sem depender de tudo e todos. Isso não é viver! Chegar a ter trezentos anos sem conseguir pensar direito, ou pior, pensando e não conseguindo fazer. É justo pensar em sexo como coisa do milênio passado?
E vou chegar a quatrocentos anos e não vou poder comer uma lasagna perfeita, pior será se puder comê-la e não sentir o gosto.
Quero dançar com a sensação corporal que sempre tenho quando ouço uma música que gosto. Quero fazer ginástica porque amo me movimentar e pegar pesos na musculação. Quero escrever, pintar, cozinhar, fazer tudo que gosto porque me dá prazer fazer.
A longevidade restrita não me interessa! Não vou deixar de comer um belo torresmo porque as minhas coronárias não vão se sentir bem. Eu vou me sentir bem e se as meninas se fecharem em um infarto fulminante, terei tido o prazer de ter comido aquela carne gorda frita no ponto certo, tomando uma cerveja super gelada. Nem gosto tanto de cerveja, mas adoro meu vinho tinto seco para tomar muito. Ficar bêbado, às vezes, mas acordar inteiro, relaxado, tarde da manhã e pensar que é outro dia.
Existem dietas importantes para determinados objetivos, até mesmo o de ser magro. Não sou contra a dietas e até oriento algumas.
Mas vale a pena mesmo chegar a viver quinhentos anos e dizer: nunca bebi, nunca comi coisas “erradas”, nunca… Não sei porque estou tão mal.”
Não quero viver seiscentos anos: quero viver muito bem. Só isso!

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

3 comentáriosDeixe um comentário

  • Muito importante cuidarmos da saúde, concordo, mas haver limitações, principalmente dos prazeres da vida, como um bom vinho, a cerveja com os amigos ou até mesmo sozinho, um bom churrasco, um bom torresmo, dançar, ir a shows,. Limitacoes para alcançar uma longevidade, mas sem prazeres, aí é sacanagem. Parabéns pela abordagem na crônica

  • Muito importante cuidarmos da saúde, concordo, mas haver limitações, para alcançar uma longevidade mas sem prazeres, aí não, Parabéns pela abordagem na crônica

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *