PROTESTO – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

PROTESTO

Eu protesto!
Protesto contra tudo
Protesto contra todos
Se contra todos não vale
Protesto contra nada
Protesto contra ninguém
Se ninguém estiver lá
Protesto contra o lugar
Protesto contra quem não foi
E contra quem foi
Quem estiver com bandeira
Protesto contra quem
Protesto contra a bandeira
No caso de estarem nus
Protesto contra a nudez
Protesto contra a roupa
Se pelados fazem sexo
Protesto contra o sexo
Protesto contra a falta de sexo
Ainda há o pecado
Protesto contra o pecado
Protesto contra o decoro
Protesto contra a moral
Protesto contra a indecência
E contra a decência
E contra o desejo refreado
Contra o medo de se lançar
Contra a pudicícia
E contra o recato
Protesto contra o abuso
A carne mal satisfeita
E o tesão recolhido
Protesto contra a liberdade
Liberdade de expressão
Liberdade de manifestação
Liberdade de se libertar
E liberdade de se prender
Protesto contra tudo
Protesto contra todos
Protesto contra ninguém
Protesto contra nada
O protesto é ódio
O protesto é amor
O protesto é uma manifestação
Com uma visão
Com um apelo
Com uma reação
Que pode ser sem razão
Mas com um objetivo apenas:
Protestar.

         

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *