PIOGGIA / CHUVA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

PIOGGIA / CHUVA

LA PIOGGIA
Artur Laizo

E fuori piove!
E pioverà ancora
Per quanti giorni?
La notte è scura e fredda
Per conto della pioggia?
O per conto di tutto che mi fa adesso
Morrire pian piano?
Non so!
Fiori piove e la sera è tutta buia.
Silenzio fuori,
Silenzio dentro me.
Un cuore vuoto,
Un’anima solitaria,
Un mondo che finisce
Ogni volta un po…
Per conto della pioggia?
Per conto del dolore
E della solitudine
Che diventa tutto?
Buio…
Freddo…
Pieno di dolore!
Appena la pioggia.
Pioggerà fino a quando?

*CHUVA*
Artur Laizo

Chove lá fora!
E vai chover ainda
Por quantos dias?
A noite está escura e fria
Por causa da chuva?
Ou por causa de tudo que me faz agora
Morrer devagarinho?
Não sei!
Lá fora chove e a noite está toda escura.
Silêncio lá fora,
Silêncio dentro de mim.
Um coração vazio,
Uma alma solitária,
Um mundo que se acaba
Cada vez um pouco mais…
Por causa da chuva?
Por conta da dor
E da solidão
Que muda tudo?
Escuridão…
Frio…
Cheio de dor!
Apenas a chuva.
Vai chover até quando?

            

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *